Gestão de produtos químicos

General Introduction

O objetivo desta secção consiste na promoção responsável de programas de gestão de produtos químicos em instalações de produção. A utilização de produtos químicos nos processos produtivos e nas operações de uma instalação industrial pode ser extremamente tóxica para o ambiente e para a saúde humana, caso não seja gerida de forma sistemática e adequada. Ao contrário de outras secções do Higg, a gestão de produtos químicos terá impacto sobre todas as áreas da empresa, desde o inventário e compras, passando pela produção, até aos locais de armazenamento e resíduos. Um programa consistente de gestão de produtos químicos deve conter práticas básicas e avançadas nas áreas seguintes:

  • Políticas de gestão de produtos químicos, procedimentos de conformidade e compromissos
  • Formação de funcionários e comunicação
  • Práticas de aquisição e angariação de produtos químicos e matérias-primas
  • Gestão do inventário de produtos químicos
  • Práticas de armazenamento, transporte, manuseamento e uso de produtos químicos
  • Plano de Resposta a Emergências (PRE), acidentes, plano de remediação de acidentes e derrames
  • Capacidade de monitorização, qualidade e integridade do produto
  • Inovação de produtos químicos e de processos
  • Melhoria contínua

A secção de Gestão de Produtos Químicos do Higg FEM contém orientações sobre práticas básicas a avançadas relativas a cada uma destas categorias. Lembre-se de que poderão decorrer alguns anos até concluir todos os requisitos necessários para implementar um sistema sólido para gestão de produtos químicos. Pode-se consultar o documento do enquadramento do CMS da ZDHC Versão 1.0 para obter mais informação, https://www.roadmaptozero.com/process#Guidance

Antes de responder às perguntas da avaliação, ser-lhe-á pedido antes para definir se a sua fábrica possui processos produtivos que necessitem de produtos químicos. As suas escolhas dirigi-lo-ão para as perguntas mais aplicáveis às suas instalações. Exemplos de produtos químicos usados na produção incluem corantes, acabamentos de silicone, produtos para serigrafia, solventes, tintas, rótulos, uma formulação química de um hidrorrepelente durável, adesivos, produtos químicos para curtumes, e outras melhorias químicas. Outros exemplos incluem plastificantes químicos adicionados a um produto / componente de plástico, tinta de serigrafia que tem pigmentos e resinas, ou um solvente utilizado como transportador para outros ingredientes que irão evaporar da peça de vestuário após o processo de impressão estar completo. Esperamos que todas as instalações do Escalão 2 e Escalão 3 (fornecedores de materiais, instalações de tinturaria e estampagem, fábricas de curtumes, fornecedores de produtos químicos, e fornecedores de guarnições) respondam “Sim” quando questionadas se usam produtos químicos na produção.

Nota: A secção de Gestão de Produtos Químicos do Higg FEM resulta de uma colaboração entre a Sustainable Apparel Coalition, a Outdoor Industry Association, e a Zero Discharge of Hazardous Chemicals.

Introdução de Produtos Químicos

Todas as perguntas desta secção foram redigidas para levar as instalações a destacarem-se em cada uma destas categorias:

  • Políticas de gestão de produtos químicos, procedimentos de conformidade e compromissos: é importante que as instalações possuam políticas e procedimentos sólidos, como primeiro passo para uma gestão adequada de produtos químicos. Esta documentação confirma o apoio da gestão e um planeamento abrangente para a gestão de produtos químicos. Embora esta documentação não garanta o comportamento responsável, é um precursor importante da gestão responsável e sistemática de produtos químicos.
  • Formação de funcionários e comunicação: para que os produtos químicos sejam geridos de modo responsável, todos os trabalhadores que entram em contacto com produtos químicos devem estar conscientes das práticas e orientações para a gestão responsável.
  • Práticas para seleção, fornecimento e aquisição de produtos químicos: para o cumprimento de requisitos básicos relativamente a produtos químicos, o passo inicial crítico consiste em compreender quais são os produtos químicos que entram nas instalações. Depois de saber o que entra na sua empresa, estará mais bem equipado para tomar decisões responsáveis sobre as compras, e sobre o modo como esses produtos químicos adquiridos são geridos.
  • Gestão do Inventário de Produtos Químicos: A manutenção de um inventário de produtos químicos é uma componente importante de um bom sistema de registo para confirmar o entendimento das instalações relativo aos produtos que são usados no local e se estes cumprem determinados critérios. Os inventários também são importantes para identificar a origem de falhas nos produtos, no caso de uma não conformidade.
  • Práticas de armazenamento, transporte, manuseamento e utilização de produtos químicos: quando os produtos químicos são introduzidos nas instalações, os trabalhadores devem estar preparados para os armazenar, transportar, manusear e utilizar de forma adequada, a fim de evitar a contaminação ambiental e/ou a exposição dos trabalhadores.
  • Plano de Resposta a Emergências (PRE), plano de remediação de acidentes e derrames: de modo a proteger os trabalhadores e/ou as equipas de resposta a exposições involuntárias, é crítico ter um plano para gerir os incidentes químicos de emergência que todos os trabalhadores estejam preparados para implementar.
  • Capacidade de monitorização do produto, qualidade / integridade: para garantir a qualidade do produto, é importante que o local das suas instalações confirme que a qualidade de um produto químico encomendado corresponde à qualidade do produto químico recebido, especialmente em relação aos critérios ambientais e à capacidade de monitorização total do documento. Isto permite que as instalações evitem não conformidades involuntárias ou a exposição de trabalhadores ou do ambiente aos produtos químicos.
  • Inovação de produtos químicos e de processos: a gestão de produtos químicos é uma área complexa, onde existem atualmente mais desafios do que soluções ambientais. É fundamental que os parceiros da cadeia de valor colaborem no sentido da inovação, afastando-se da gestão adequada de contaminantes no sentido da substituição de contaminantes com melhores alternativas e inovações, para redução dos impactos ambientais.
  • Melhoria contínua: A implementação do CMS é um processo contínuo. À medida que as mudanças acontecem nas organizações, regulamentos, requisitos, políticas, os Procedimentos Operacionais Padrão (SOP) e processos precisam de revisão e atualizações contínuas. É importante que a organização tenha um processo estruturado para o fazer.  Este processo pode ser feito internamente e/ou por terceiros.

Os KPI acima também foram comparados com os indicadores originais dos Objetivos Primários 1-7 do Módulo OIA de Gestão de Produtos Químicos, garantindo que todos os conceitos foram capturados neste versão 3.0, recém-organizada e convergente, do Módulo de Ambiente para Instalações Industriais, e permitindo que os Objetivos Primários do Módulo de Gestão de Produtos Químicos continuem a ser usados, como um modo alternativo de considerar e referenciar as principais práticas para gestão de produtos químicos que procuramos implementar no setor.

IMPORTANTE — COMO USAR OS LINKS PARA ORIENTAÇÃO TÉCNICA: Uma das organizações nossas parceiras, o grupo Descarga Zero de Produtos Químicos Perigosos (ZDHC), desenvolveu um excelente guia para a gestão de produtos químicos que serve de referência nas questões do Higg FEM. Por exemplo, se uma pergunta fizer referência ao “ZDHC Chemical Management System Framework – Versão 1.0 (maio de 2020) – Capítulo 5” para obter mais informações sobre as boas práticas de gestão recomendadas, pode abrir este documento e encontrar a secção 5 e obter mais detalhes sobre o tema.

Enquadramento do Sistema de Gestão de Produtos Químicos da ZDHC:

https://uploads-ssl.webflow.com/5c4065f2d6b53e08a1b03de7/5ec4fce8cc2b044b520491d5_ZDHC%20CMS%20Framework_MAY2020.pdf

Selecione todos os processos executados nas suas instalações:

  • Tinturaria ou outros processos húmidos
  • Estampagem
  • Lavandaria ou branqueamento
  • Colagem
  • Extrusão de fibras ou fiação
  • Tecelagem com desbaste
  • Curtumes
  • Laminação
  • Extrusão, montagem, acabamento de peças plásticas
  • Acabamento de Metais
  • Soldagem
  • Outros processos produtivos que necessitem de produtos químicos

Se algum for selecionado, a sua instalação será uma instalação que usa produtos químicos nos processos produtivos.

  • Isto refere-se aos processos das instalações que usem produtos químicos nos processos de criação de um produto (por exemplo, tinturaria ou outros processamentos húmidos, estampagem, lavagem ou branqueamento, colagem, tecelagem com desbaste, extrusão de fibras, fiação, galvanoplastia, soldagem ou outros processos produtivos). Esperamos que todas as fábricas no Escalão 2 e Escalão 3 (fornecedores de materiais, instalações de tinturaria e estampagem, fábricas de curtumes, fornecedores de produtos químicos, e fornecedores de guarnições) caiam nesta categoria de aplicabilidade.
  • Exemplos de produtos químicos usados na produção incluem corantes, acabamentos de silicone, produtos para serigrafia, solventes, tintas, rótulos, uma formulação química de um hidrorrepelente durável, colas, adesivos, produtos químicos para curtumes, e outras melhorias químicas. Um outro exemplo será um plastificante químico adicionado a um produto ou componente de plástico. Algumas misturas químicas usadas na fabricação do produto não permanecem no produto acabado mas são aqui incluídas, como as tintas para serigrafia, que contêm pigmentos e resinas, mais um solvente usado como transportador para os outros ingredientes da tinta e que evaporará (ou será retirado) da peça de vestuário após a finalização do processo de estampagem. As instalações que utilizam produtos químicos nos processos de produção devem também comunicar as suas ferramentas e produtos químicos operacionais, conforme aplicável

Se nenhum for selecionado, é porque as suas instalações usam produtos químicos apenas nas ferramentas e/ou operações das instalações

  • Isto faz referência a fábricas que não usam produtos químicos nos processos produtivos, mas usam produtos químicos em outras áreas operacionais das instalações, como o tratamento de efluentes. As fábricas têxteis do Escalão 1, que não se encontrem integradas verticalmente, deverão cair nesta categoria de aplicabilidade. Ser-lhe-á ainda apresentado um subconjunto de questões sobre Gestão de Produtos Químicos, porque as suas instalações ainda usam nas suas operações diárias alguns produtos químicos, como produtos de limpeza, lubrificantes de máquinas, tira-nódoas, tintas e produtos químicos para tratamento de efluentes (ETE), nos casos aplicáveis.

Gestão de produtos químicos – Nível 1

Questions

Verifique todos os tipos de produtos químicos incluídos no inventário

  • Todos os produtos químicos usados nos processos produtivos (incluindo os produtos químicos na produção, reagentes e aditivos e produtos químicos para tratamento de águas residuais (UTE), nos casos aplicáveis
  • Todos os produtos químicos usados em ferramentas/equipamentos (tira-manchas, lubrificantes e massas de lubrificação)
  • Todos os produtos químicos usados para operar e manter a instalação (além da WWT, que foi captada acima).

Carregamento sugerido: a) Lista de Inventário Químico; b) As Licenças, quando aplicável, para certos produtos químicos sensíveis a serem armazenados ou usados (por exemplo, em alguns países, materiais explosivos, anidrido acético, ureia, etanol, etc., são regulamentados e precisam de permissão especial para uso)

As informações não precisam estar todas em um único documento, mas devem ser de fácil acesso nos documentos relevantes (por exemplo, documentação relativa às entradas e saídas)

  • Nome e tipo do produto químico
    • Exemplos de tipo: corante, agente de limpeza, material de revestimento, detergente, amaciador, etc.
  • Nome e tipo do fornecedor/vendedor
    • Exemplos de tipo: fabricante / formulador original, reformulador, agente, distribuidor, corretor, outro, desconhecido.
  • Presença de Ficha de Dados de Segurança (FDS ou FISPQ) – deve incluir disponibilidade e data de emissão
    • Em conformidade com o Sistema Global de Harmonização (GHS) ou equivalente
    • O GHS ou o seu FDS equivalente deve incluir informações e composição do produto químico, classificação e símbolos de perigo, informações do fornecedor (fabricante), uso pretendido/uso final específico, riscos e perigos potenciais de saúde e segurança, precauções pessoais, equipamentos de proteção e procedimentos de emergência, medidas de primeiros socorros, sintomas e tratamento médico necessário, métodos e materiais para contenção e limpeza, utilização segura e métodos de manuseamento, métodos de manuseamento de derrames, condições para armazenamento seguro, incluindo quaisquer incompatibilidades, toxicidade, estabilidade e reatividade de produtos químicos, qualquer reação perigosa potencial ou decomposição, eliminação e métodos de tratamento de resíduos, classes de perigo de transporte e riscos.
  • Função
  • Classificação de Perigo
    • Deve incluir frases de perigo P e H (ou frases S e R)
  • Onde o produto químico é utilizado
    • Por exemplo, que edifício/processo/máquina
  • Condições e localização do armazenamento
  • Quantidades de produtos químicos utilizados
    • Por exemplo: galões, gramas, quilogramas, toneladas, litro
  • Número ou números (no caso de misturas) CAS
  • Números de lote
  • Conformidade com a MRSL
  • Data de aquisição
  • Datas de validade dos produtos químicos (se aplicável)

Relativo aos dados que não estiverem incluídos no inventário de produtos químicos das suas instalações, existe algum plano de ação para a sua obtenção?

Carregue o seu plano de ação para a obtenção destes dados.

As informações não precisam estar todas em um único documento, mas devem ser de fácil acesso nos documentos relevantes (por exemplo, documentação relativa às entradas e saídas)

Um inventário químico completo inclui: nome e tipo de produto químico, nome e tipo do fornecedor/vendedor, Ficha de Dados de Segurança (FDS ou FISPQ) disponível e data de emissão, função, classificação de perigo, onde é usado, condições e local de armazenamento, quantidades de produtos químicos usados, número(s) CAS conforme mencionado no GHS / SDS equivalente para substâncias químicas perigosas, números de lote (podem ser registados em qualquer local que pode ser facilmente monitorizado ou acompanhado), conformidade com a MRSL, data de compra e datas de validade (se aplicável).

Receberá a Pontuação completa se tiver um inventário completo para todos os produtos químicos aplicáveis às suas instalações.

Se monitorizar todos os produtos químicos com um inventário parcial, receberá Pontuação parcial. De modo similar, se tiver um inventário detalhado mas ainda não monitorizar todos os produtos químicos aplicáveis, receberá uma pontuação parcial.

Tenha em atenção: não precisa de carregar toda a documentação das FISPQ para o higg.org, dado que isto pode incluir um largo volume de ficheiros e o carregamento destes ficheiros é opcional. Contudo, deverá ser capaz de localizar claramente onde se encontra a informação das Fichas de Dados de Segurança e ser-lhe-á solicitada esta informação durante a verificação.

Será solicitada documentação adicional durante a verificação: b) Permissões, quando aplicável, para certos produtos químicos sensíveis a serem armazenados ou usados, por exemplo, materiais explosivos, d) Registos de compra.

As instalações que não utilizem produtos químicos na produção devem inventariar todos os produtos químicos relacionados com a categoria de ferramentas e equipamentos, incluindo tira-nódoas, massas/lubrificantes para máquinas e produtos químicos para a unidade de tratamento de efluentes.

Instalações com produtos químicos apenas para ferramentas/operações

Se não existirem produtos químicos que entrem em contacto com os produtos (por exemplo, produtos de limpeza) e/ou se não utiliza produtos químicos para a manutenção e lubrificação de máquinas, pode selecionar “não aplicável“.

Instalações com produtos químicos apenas para ferramentas/operações

Deve inventariar todos os produtos químicos relacionados com os processos de produção e a categoria de ferramentas/equipamentos, incluindo tira-nódoas, massas de lubrificação/lubrificantes para máquinas e produtos químicos para tratamento de efluentes de fábricas. Se não existirem produtos químicos que entrem em contacto com os produtos, por exemplo, produtos de limpeza, e/ou não utilizem produtos químicos para a manutenção e lubrificação de máquinas, pode selecionar “não aplicável”.

Instalações com produtos químicos na produção:

  • Todos os produtos químicos destinados a produção, ferramentas/equipamentos, operações e manutenção devem ser inventariados, e todas as informações necessárias devem ser incluídas, para conseguir a pontuação completa.
  • Todos os produtos químicos destinados à produção devem ser inventariados para desbloquear o Nível 2.
  • Todos os produtos químicos usados em ferramentas/equipamentos, operações e manutenção também precisam de ser inventariados; contudo, as instalações podem evoluir para os próximos níveis caso os inventários não estejam atualmente a funcionar ou estejam incompletos.
  • Todos os produtos químicos usados nas ferramentas/equipamentos devem ser inventariados, para permitir um pontuação de Sim Parcial.

Indicador-Chave de Desempenho Operacional: Gestão do Inventário de Produtos Químicos

Qual é a intenção desta pergunta?

Esta pergunta garante que a instalação compreende que produtos químicos existem no local. Este é um primeiro passo necessário para determinar quais os produtos químicos que são perigosos e como geri-los de forma segura, e para implementar um sistema de gestão de produtos químicos.

Todas estas informações não precisam de estar num único documento Excel, mas devem ser facilmente localizáveis em vários documentos. Por exemplo, as quantidades e as datas de aquisição podem estar em documentos diferentes; cada produto químico pode ter centenas de datas de aquisição diferentes, que podem ser monitorizadas por outra documentação do armazém.

A gestão de produtos químicos começa com a compreensão plena dos produtos químicos que são armazenados e utilizados nas instalações. A maior parte dos produtos químicos na indústria têxtil e do calçado cai em várias categorias de substâncias: oxidantes, corrosivas, gases sob pressão, inflamáveis, tóxicas e irritantes.

Normalmente, a maioria destas substâncias será detetada nas imediações do local de trabalho. Muitos produtos químicos são bastante movimentados, já que são usados por várias receitas em cada ordem de trabalho individual. Para a monitorização da comunicação de riscos, é necessário um inventário escrito contendo todos os produtos químicos das instalações, que deve estar disponível para todos os funcionários. O inventário é uma documentação evolutiva, e deve estar constantemente atualizado.

A monitorização de alguns destes dados é mais complexo e demorará algum tempo, mas uma vez compilada será valiosa para a sua empresa, à medida que forem introduzidas novas regulamentações ou necessidades de gestão de produtos químicos mais avançadas.

Orientações Técnicas:

É necessário compreender a metodologia de implementação “Primeiro a Entrar, Primeiro a Sair” (FIFO: First In, First Out) como um sistema das instalações para ser capaz de monitorizar eficazmente os dados de consumo dos produtos químicos. As instalações podem adotar uma de duas abordagens diferentes. Uma opção é que as instalações conservem um inventário de produtos químicos que é atualizado todos os meses. Alternativamente, podem gerir os dados relativos às existências de modo a recolherem os números de lote de todos os produtos químicos recebidos, e numa outra folha incluir o registo de informações de produtos químicos que contenha a informação de perigos. No caso de existir possibilidade da compra frequente de produtos químicos, será obrigatória a segunda opção.

Para a preparação do inventário, crie uma lista que inclua os produtos químicos usados nos processos produtivos, os produtos químicos usados para apoio aos processos produtivos, tais como os produtos químicos usados para limpeza dos equipamentos nas mudanças de turno (ou seja, produtos químicos que a organização reutiliza, vende ou elimina), produtos químicos usados para o tratamento de efluentes, produtos químicos usados em laboratórios, produtos químicos usados para caldeiras, refrigeradores, produtos químicos de limpeza, tira-nódoas, solventes para remoção de tintas, goma de engomar, produtos químicos usados na limpeza de telas, produtos químicos para produção e exposição de telas, etc. Os produtos químicos intermediários criados durante a produção não precisam de ser recolhidos. Devem existir instruções escritas para a utilização devida de um determinado produto químico no local onde esse produto for usado. As instruções podem ser na forma de cartões de prescrição, instruções para ajuste de processos ou fichas de formulação, e devem descrever a operação global, os produtos químicos e as quantidades necessárias para esses processos. O documento de instruções de utilização do produto químico deve incluir os parâmetros para controlo do processo e os pontos de verificação. Normalmente, as Fichas de Dados Técnicos (FDT) fornecerão informações relativas ao processo e à utilização. Também pode ser benéfico colaborar com fornecedores de produtos químicos no sentido de otimizar prescrições, instruções e processos. Os inventários devem ser atualizados anualmente ou sempre que ocorra uma alteração processual.

Referência: Enquadramento do Sistema de Gestão de Produtos Químicos da ZDHC – Versão 1.0 (maio de 2020) – Capítulo 5

Itens a incluir no seu inventário:

            Dados de identificação química conforme listados na Pergunta 1b:

  • Nome e tipo do produto químico
    • Exemplos de tipo: corante, agente de limpeza, material de revestimento, detergente, amaciador, etc.
  • Nome e tipo do fornecedor/vendedor
    • Exemplos de tipo: fabricante / formulador original, reformulador, agente, distribuidor, corretor, outro, desconhecido.
  • Presença de Ficha de Dados de Segurança (FDS ou FISPQ) – deve incluir disponibilidade e data de emissão
    • Em conformidade com o Sistema Global de Harmonização (GHS) ou equivalente
    • O GHS ou o seu FDS equivalente deve incluir informações e composição do produto químico, classificação e símbolos de perigo, informações do fornecedor (fabricante), uso pretendido/uso final específico, riscos e perigos potenciais de saúde e segurança, precauções pessoais, equipamentos de proteção e procedimentos de emergência, medidas de primeiros socorros, sintomas e tratamento médico necessário, métodos e materiais para contenção e limpeza, utilização segura e métodos de manuseamento, métodos de manuseamento de derrames, condições para armazenamento seguro, incluindo quaisquer incompatibilidades, toxicidade, estabilidade e reatividade de produtos químicos, qualquer reação perigosa potencial ou decomposição, eliminação e métodos de tratamento de resíduos, classes de perigo de transporte e riscos.
  • Função
  • Classificação de Perigo
    • Deve incluir frases de perigo P e H (ou frases S e R)
  • Onde o produto químico é utilizado
    • Por exemplo, que edifício/processo/máquina
  • Condições e localização do armazenamento
  • Quantidades de produtos químicos utilizados
    • Por exemplo: galões, gramas, quilogramas, toneladas, litro

Dados adicionais listados na Pergunta 1c:

  • Número ou números (no caso de misturas) CAS
  • Números de lote
  • Conformidade com a MRSL
  • Data de aquisição
  • Datas de validade dos produtos químicos (se aplicável)

Onde encontrar mais informações:

Para o Sistema Global Harmonizado de Classificação e Etiquetagem de Produtos Químicos: https://www.unece.org/trans/danger/publi/ghs/ghs_rev08/08files_e.html

 

Modelo CIL da ZDHC: https://www.roadmaptozero.com/documents

De que modo isto será verificado:

Instalações que utilizem produtos químicos nos processos produtivos.

Pontuação completa:

  • O Inventário de Produtos Químicos engloba todos os produtos químicos usados na produção, ferramentas/equipamentos, operações e manutenção (incluindo os produtos químicos na produção, tira-nódoas, produtos químicos para a ETE, massas gordurosas e lubrificantes, nos casos aplicáveis). Consulte o Guia de Aplicabilidade
  • As instalações conseguem apresentar uma lista dos produtos químicos adquiridos durante um ano completo, e todos os produtos químicos adquiridos estão inventariados.
  • Existe um inventário de produtos químicos com as informações mínimas que incluem dados de identificação química e dados adicionais:
    • Dados de identificação química – consulte a lista indicada na Pergunta 1b, e
    • Dados adicionais – consulte a lista apresentada na Pergunta 1c
  • O inventário de produtos químicos precisa registar as informações de quantidades utilizadas,  as quantidades devem ser atualizadas pelo menos todos os meses
  • Precisa existir um sistema de monitorização em tempo real (eletrónico ou manual) nas áreas de armazenamento, produção e armazenamento temporário, para monitorizar as quantidades e valores utilizados (registo de entradas/saídas) dos produtos químicos
  • Deve ser monitorizada uma verificação de existências de produtos químicos (adquiridos, usados) nas instalações, pelo menos, a cada 6 meses
  • O inventário de produtos químicos é atualizado sempre que um novo produto químico for adquirido. A adição de um novo produto químico inicia um processo de formação de trabalhadores, EPI, análise dos perigos e dos requisitos de armazenamento, planeamento de emergências e de requisitos para a eliminação.
  • Os novos produtos químicos não são deslocados para o stock ou para o armazenamento até que a verificação seja efetuada: combinados com a Ordem de Compra,adicionados à lista de inventário de produtos químicos, o N.º CAS monitorizado em relação à MRSL em termos de aceitabilidade para utilização, designados para armazenamento adequado, de acordo com a sua classe de perigo e compatibilidade, e devidamente rotulado.

Pontuação Parcial:

  • O Inventário de Produtos Químicos engloba todos os produtos químicos usados (pelo menos) na produção e em ferramentas/equipamentos (incluindo os produtos químicos na produção, tira-nódoas, produtos químicos para a ETE, massas gordurosas e lubrificantes, nos casos aplicáveis). Consulte as Orientações de Aplicabilidade.
  • As instalações conseguem apresentar uma lista dos produtos químicos adquiridos durante um ano completo, e pelo menos todos os produtos químicos adquiridos para a produção ou ferramentas/equipamentos estão inventariados.
  • Existe um inventário químico com o mínimo de informações sobre os dados de identificação química:
    • Dados de identificação de produto químico – consulte a lista apresenta na Pergunta 1b
  • O inventário de produtos químicos precisa registar as informações de quantidades utilizadas, e as quantidades devem ser atualizadas não mais do que 2 meses.

Instalações que usam apenas produtos químicos nas operações das instalações

Pontuação completa:

  • O Inventário de Produtos Químicos engloba todos os produtos químicos usados na produção, ferramentas/equipamentos, operações e manutenção (incluindo os produtos químicos na produção, tira-nódoas, produtos químicos para a ETE, massas gordurosas e lubrificantes, nos casos aplicáveis). Consulte as Orientações de Aplicabilidade.
  • As instalações conseguem apresentar uma lista dos produtos químicos adquiridos durante um ano completo, e todos os produtos químicos adquiridos estão inventariados.
  • Existe um inventário de produtos químicos com as informações mínimas:
    • Consulte os dados de identificação química listados na Pergunta 1b e,
    • Consulte os dados adicionais listados  na Pergunta 1C
  • O inventário de produtos químicos é atualizado sempre que um novo produto químico for adquirido. A adição de um novo produto químico inicia um processo de formação de trabalhadores, EPI, análise dos perigos e dos requisitos de armazenamento, planeamento de emergências e de requisitos para a eliminação.
  • O novo recebimento de produtos químicos não é deslocado para o armazenamento antes de ser efetuada alguma verificação: correção à Ordem de Compra,adicionados à lista de inventário de produtos químicos, o N.º CAS monitorizado em relação à MRSL em termos de aceitabilidade para utilização, designados para armazenamento adequado, de acordo com a sua classe de perigo e compatibilidade, e devidamente rotulado.

Pontuação Parcial:

  • O Inventário de Produtos Químicos engloba todos os produtos químicos usados (pelo menos) na produção e em ferramentas/equipamentos (incluindo os produtos químicos na produção, tira-nódoas, produtos químicos para a ETE, massas gordurosas e lubrificantes, nos casos aplicáveis). Consulte as Orientações de Aplicabilidade.
  • As instalações conseguem apresentar uma lista dos produtos químicos adquiridos durante um ano completo, e pelo menos todos os produtos químicos adquiridos para a produção ou ferramentas/equipamentos estão inventariados.
  • Existe um inventário de produtos químicos com as informações mínimas:
    • Consulte os dados de identificação química listados na Pergunta 1b
  • Instalações NA (sem ferramentas)

Documentação necessária: (os documentos não precisam de ser carregados, mas serão conferidos durante a verificação):

  • Lista do Inventário de Produtos Químicos
  • Ficha de Dados de Segurança (FDS ou FISPQ) – deve incluir a disponibilidade e a data de emissão
    • Em conformidade com o Sistema Global de Harmonização (GHS) ou equivalente
    • O GHS ou o seu FDS equivalente deve incluir informações e composição do produto químico, classificação e símbolos de perigo, informações do fornecedor (fabricante), uso pretendido/uso final específico, riscos e perigos potenciais de saúde e segurança, precauções pessoais, equipamentos de proteção e procedimentos de emergência, medidas de primeiros socorros, sintomas e tratamento médico necessário, métodos e materiais para contenção e limpeza, utilização segura e métodos de manuseamento, métodos de manuseamento de derrames, condições para armazenamento seguro, incluindo quaisquer incompatibilidades, toxicidade, estabilidade e reatividade de produtos químicos, qualquer reação perigosa potencial ou decomposição, eliminação e métodos de tratamento de resíduos, classes de perigo de transporte e riscos.
  • Quando aplicável, as licenças para que certos produtos químicos sensíveis sejam armazenados ou utilizados, por exemplo, materiais explosivos (etanol, anidrido acético, ureia etc., conforme aplicável em alguns países)
  • Lista de produtos químicos adquiridos e correspondentes, registos de aquisição para o último ano completo

Perguntas a efetuar na entrevista:

  • Debater o processo para manutenção de um inventário de produtos químicos preciso, atualizado e completo.

Inspeção – aspetos a confirmar fisicamente:

  • Confirme a lista/registo dos produtos químicos adquiridos, para detetar falhas no inventário de produtos químicos
  • Confirme o inventário de produtos químicos, os registos FIFO, ou outros documentos relevantes que contenham os dados necessários. Confirme a capacidade de monitorização, até ao inventário de produtos químicos, dos dados que possam ter sido registados noutros locais.
  • Realização de visita pelas instalações, com verificação aleatória do inventário de produtos químicos, das licenças e da conformidade dos trabalhadores relativamente ao uso de EPI.
  • Verifique aleatoriamente pelo menos 10 produtos químicos no local (dependendo do número total de produtos químicos usados no local), incluindo produtos químicos para a produção, ferramentas/equipamentos, operação e manutenção, para confirmar se:
  • O produto químico foi registado no inventário de produtos químicos; e
  • As informações do inventário de produtos químicos são consistentes com a rotulagem original e com as FISPQ/FDS.

As Fichas de Dados de Segurança (FISPQ) estão afixadas nos locais de armazenamento de produtos químicos perigosos?

As Fichas de Dados de Segurança (FISPQ) estão disponíveis em idiomas compreendidos pelos trabalhadores (pelo menos, as secções diretamente relacionadas com os requisitos operacionais da segurança dos trabalhadores e do armazenamento, como primeiros-socorros, perigos, e informações sobre a inflamabilidade)?

Sugestão de carregamento: a) imagens fotográficas mostrando que a FDS está disponível no local de trabalho e acessível aos colaboradores; b) Ficha de dados de segurança OPCIONAL (FDS), em conformidade com o Sistema de Harmonização Global (GHS) ou equivalente (ignore, se já foi carregado anteriormente. Não precisam de ser carregados, mas precisam de estar disponíveis para revisão durante a verificação); c) Etiqueta compatível com CLP nos casos em que a FDS não está disponível

Será solicitada documentação adicional durante a verificação: d) Lista de Inventário Químico, 3) Planos de Resposta de Emergência, f) Documentação de Controlo de Derrame/Equipamento de Contenção, g) Documentação do EPI Adequado a ser utilizado pela força de trabalho, h) Documentação da formação

As Fichas de Dados de Segurança devem estar em conformidade com o Sistema Global Harmonizado (GHS) ou equivalente

Selecione Sim parcial se nem todos os produtos químicos utilizados nos processos de produção / fabricação, ferramentas, tratamento de efluentes de produtos químicos estiverem de acordo com o GHS ou diretrizes equivalentes.

Tenha atenção: não precisa de carregar toda a documentação das FISPQ para higg.org, dado que isto pode incluir um largo volume de ficheiros; o carregamento destes ficheiros é opcional. Contudo, deverá ser capaz de localizar claramente onde se encontra a informação das Fichas de Dados de Segurança e será solicitada esta informação durante a verificação.

No caso de instalações que não utilizem produtos químicos na produção: são exigidas Fichas de Dados de Segurança para todos os produtos químicos relacionados com os processos produtivos, ferramentas e equipamentos, como tira-nódoas, gorduras/lubrificantes para máquinas, e produtos químicos para a unidade de tratamento de efluentes. Se não existirem produtos químicos que entrem em contacto com os produtos, (por exemplo, produtos de limpeza), e/ou não utilizem produtos químicos para a manutenção e lubrificação de máquinas, selecione “não aplicável“.

Indicador-Chave de Desempenho Operacional: Práticas de Manuseamento, Utilização e Armazenamento de Produtos Químicos E Formação de Funcionários e Comunicação

Qual é a intenção desta pergunta?

Espera-se que as instalações tenham Fichas de Dados de Segurança (FDS) disponíveis para todos os produtos químicos usados nas instalações. As Fichas de Dados de Segurança (FDS) em conformidade com o Sistema Global Harmonizado (GHS) ou equivalente são amplamente reconhecidas como uma fonte fundamental de informações sobre produtos químicos, para identificar e controlar os impactos sobre a saúde e a segurança causados pelos produtos químicos armazenados, utilizados e eliminados. Se a instalação estiver localizada numa região onde o GHS ainda não foi adotado, precisará de ser seguido um padrão equivalente. A Ficha de Dados de Segurança (FDS) deve ser recolhida e analisada pela instalação antes de o produto químico ser utilizado, para garantir que todas as informações necessárias contidas na FDS sejam completas e claras. A FDS é um documento que contém informações sobre os perigos potenciais (para a saúde, incêndio, reatividade e ambientais) e como trabalhar de forma segura com o produto químico. A existência das Fichas de Dados de Segurança (FDS) é um precursor das futuras formações e comportamentos de gestão nesta secção.

As Fichas de Dados de Segurança (FDS) são um ponto de partida essencial para o desenvolvimento de um programa completo de perigos químicos, saúde e segurança. São documentos de referência para quem necessitar saber informações sobre um determinado produto químico com que entrará em contacto. Os produtos químicos podem ser muito perigosos, especialmente se forem repetidamente manuseados, ou se forem indevidamente armazenados, transportados, ou usados.

Orientações Técnicas:

É importante compreender todas as informações necessárias disponíveis na FDS e compreender a exatidão e adequação das informações fornecidas na FDS para uma pessoa responsável pela gestão de produtos químicos. Todas as informações fornecidas em todas as secções devem ser adequadamente avaliadas e verificadas relativo à identificação de perigos e aos detalhes informativos da composição dos produtos químicos. A rotulagem das embalagens dos produtos químicos e as informações declaradas nas FDS devem ser cruzadas e confirmadas. Os rótulos de todos os produtos químicos recebidos devem ser verificados e devem ser originais e estar em conformidade com o GHS CLP ou com os regulamentos específicos do país.

Nos casos em que determinados produtos químicos de limpeza/ferramentas não tenham conformidade adequada com o GHS / SDS equivalente, procure o rótulo no produto que deve fornecer detalhes da mistura e símbolos de perigo no rótulo. Nos casos em que o rótulo ou FDS apropriado não esteja disponível, as instalações devem tentar obter o máximo de informação possível sobre o produto químico. Os rótulos originais devem estar em conformidade com o GHS CLP ou com os regulamentos específicos do país.

Para maior compreensão:

De que modo isto será verificado:

Instalações que utilizem produtos químicos nos processos produtivos:

Sim

  • Estão disponíveis FISPQ/FDS completas e atualizadas (solicitar atualizações ao fornecedor de produtos químicos, pelo menos, a cada 3 anos) para todos os produtos químicos.
  • As FISPQ/Fichas de Dados de Segurança (FDS) estão disponíveis em idiomas compreendidos pelos trabalhadores (pelo menos, as secções diretamente relacionadas com os requisitos operacionais da segurança dos trabalhadores e do armazenamento, como primeiros-socorros, perigos, e informações sobre a inflamabilidade).
  • As principais informações sobre perigos e segurança de acordo com as FISPQ/FDS estão claramente/visivelmente afixadas em cada local atribuído a cada produto químico específico
  • As FISPQ/FDS estão em conformidade com o Sistema Global Harmonizado (ou equivalente).
  • As FISPQ/FDS são partilhadas com a equipa de resposta a emergências interna e externamente, para o planeamento da preparação adequada a emergências.
  • Os trabalhadores (incluindo, entre outros, os que trabalham com produtos químicos ou que manuseiam resíduos perigosos) são treinados na leitura e compreensão das FISPQ/FDS para efeitos de segurança pessoal, higiene, do manuseamento adequado dos produtos químicos a que estão expostos e do modo correto de os eliminar quando necessário.
  • As áreas de armazenamento de produtos químicos estão devidamente segregadas com barreiras físicas, por classe de perigo, e/ou rótulo CLP, com sinalização adequada na entrada, e com armazenamento e espaço para trabalho, e o acesso a estes espaços é apropriadamente controlado.

Sim Parcial:

  • As FISPQ/FDS não estão no formato GHS, mas contêm todas as informações necessárias, nomeadamente: informações sobre o produto químico e sua composição, classificação e símbolos de perigo, informações sobre o fornecedor (fabricante), utilização pretendida/utilização final específica, perigos e riscos potenciais para a saúde e segurança, precauções pessoais, equipamento de proteção e procedimentos de emergência, medidas de primeiros-socorros, sintomas e tratamento médico necessário, métodos e materiais para contenção e limpeza, métodos para a utilização e manuseamento seguros, métodos para tratamento de derrames, condições para o armazenamento seguro (incluindo quaisquer incompatibilidades), toxicidade, estabilidade e reatividade do produto químico, quaisquer potenciais reações ou decomposição perigosas, métodos de eliminação e tratamento de resíduos, classes de perigo e riscos no transporte.
  • Estão disponíveis FISPQ/FDS completas e atualizadas (pelo menos todos os 3 anos) para todos os produtos químicos.
  • As FISPQ/FDS estão disponíveis em idiomas compreendidos pelos trabalhadores (pelo menos, as secções diretamente relacionadas com os requisitos operacionais da segurança dos trabalhadores e do armazenamento, como primeiros-socorros, perigos, e informações sobre a inflamabilidade).
  • As principais informações sobre perigos e segurança de acordo com as FISPQ/FDS estão claramente/visivelmente afixadas em cada local atribuído a cada produto químico específico
  • As FISPQ/FDS são partilhadas com a equipa de resposta a emergências interna e externamente, para o planeamento da preparação adequada a emergências.
  • Os trabalhadores são treinados na leitura e compreensão das FISPQ/FDS para efeitos de segurança pessoal, higiene, do manuseamento adequado dos produtos químicos a que estão expostos e do modo correto de eliminá-los quando necessário.

Instalações que usam apenas produtos químicos nas operações das instalações

Sim:

  • Precisam de estar disponíveis FISPQ/FDS completas e atualizadas (pelo menos todos os 3 anos) para todos os produtos químicos.
  • As FISPQ/FDS estão disponíveis em idiomas compreendidos pelos trabalhadores (pelo menos, as secções diretamente relacionadas com os requisitos operacionais da segurança dos trabalhadores e do armazenamento, como primeiros-socorros, perigos, e informações sobre a inflamabilidade).
  • As principais informações sobre perigos e segurança de acordo com as FISPQ/FDS estão claramente/visivelmente afixadas em cada local atribuído a cada produto químico específico
  • As FISPQ/FDS estão em conformidade com o Sistema Global Harmonizado (ou equivalente), nos casos aplicáveis, ou seja: produtos químicos a granel, petróleo e lubrificantes, produtos químicos para ETE, etc. As FISPQ/FDS noutros formatos (diferentes do formato GHS, por exemplo, um manual de instruções do produto) podem ser aceitáveis para produtos químicos em pequenas quantidades, ou seja, tira-nódoas, lubrificantes em spray, etc., desde que contenham todas as informações necessárias, nomeadamente: informações sobre o produto químico e sua composição, classificação e símbolos de perigo, informações sobre o fornecedor (fabricante), utilização pretendida/utilização final específica, perigos e riscos potenciais para a saúde e segurança, precauções pessoais, equipamento de proteção e procedimentos de emergência, medidas de primeiros-socorros, sintomas e tratamento médico necessário, métodos para a utilização e manuseamento seguros, métodos para tratamento de derrames, condições para o armazenamento seguro (incluindo quaisquer incompatibilidades), métodos de eliminação e tratamento de resíduos.
  • As FISPQ/FDS são partilhadas com a equipa de resposta a emergências no interior e externamente, para o planeamento da preparação adequada a emergências.
  • Os trabalhadores são treinados na leitura e compreensão das FISPQ/FDS para efeitos de segurança pessoal, higiene, e do manuseamento dos produtos químicos a que estão expostos e do modo correto de os eliminar.

Sim Parcial:

  • Precisam de estar disponíveis FISPQ/FDS completas e atualizadas (pelo menos todos os 3 anos) para todos os produtos químicos.
  • As FISPQ/FDS estão disponíveis em idiomas compreendidos pelos trabalhadores (pelo menos, as secções diretamente relacionadas com os requisitos operacionais da segurança dos trabalhadores e do armazenamento, como primeiros-socorros, perigos, e informações sobre a inflamabilidade).
  • As principais informações sobre perigos e segurança de acordo com as FISPQ/FDS estão claramente/visivelmente afixadas em cada local atribuído a cada produto químico específico
  • As FISPQ/FDS não estão no formato GHS, mas contêm todas as informações necessárias, nomeadamente: informações sobre o produto químico e sua composição, classificação e símbolos de perigo, informações sobre o fornecedor (fabricante), utilização pretendida/utilização final específica, perigos e riscos potenciais para a saúde e segurança, precauções pessoais, equipamento de proteção e procedimentos de emergência, medidas de primeiros-socorros, sintomas e tratamento médico necessário, métodos para a utilização e manuseamento seguros, métodos para tratamento de derrames, condições para o armazenamento seguro (incluindo quaisquer incompatibilidades), métodos de eliminação e tratamento de resíduos.
  • As FISPQ/FDS são partilhadas com a equipa de resposta a emergências no interior e externamente, para o planeamento da preparação adequada a emergências.
  • Os trabalhadores são treinados na leitura e compreensão das FISPQ/FDS para efeitos de segurança pessoal, higiene, e do manuseamento dos produtos químicos a que estão expostos e do modo correto de os eliminar.
  • Instalações NA (sem ferramentas)

Documentação necessária: (os documentos não precisam de ser carregados, mas serão conferidos durante a verificação):

  • Chemical Inventory List (CIL) (Lista de Inventário de Produtos Químicos)
  • Ficha de Dados de Segurança (FDS ou FISPQ), em conformidade com o Sistema Global de Harmonização (GHS) ou equivalente [ignorar caso tenha sido carregada na pergunta anterior]
  • Sistema Global Harmonizado – Classificação, Rotulagem e Embalagem (GHS CLP)
  • Planos de Resposta a Emergências
  • Documentação de equipamento para Controlo/Contenção de derrames
  • Documentação do EPI Adequado utilizado pelos funcionários
  • Documentação de formação
  • A precisão das informações dos conteúdos anteriores deve ser validada

Perguntas a efetuar na entrevista:

  • Verificar a compreensão do supervisor responsável, e dos trabalhadores, quanto à familiaridade com as FISPQ/FDS, CLP.
  • Conseguem explicar a classificação de perigos para os produtos químicos na sua área de trabalho?
  • Confirme a sua compreensão da compatibilidade, por exemplo, produtos químicos corrosivos e inflamáveis, etc. Como está organizado nas instalações o armazenamento de produtos químicos com diferentes classificações de perigo?
  • Confirme a sua compreensão dos vários símbolos de perigo. Pergunte quando foi a última vez que receberam formação profissional sobre perigos químicos e sobre a utilização correta do EPI necessário para o manuseamento de produtos químicos.

Inspeção – aspetos a confirmar fisicamente:                      

  • Verificar se todos os contentores de produtos químicos (em utilização e no armazém) têm rótulos adequados: nome do produto químico, classificação de perigos correspondente com a da FDS, número de remessa/lote, data de produção.
  • Verificação por amostragem/aleatória de pelo menos 5 corantes (se for o caso) e 5 auxiliares, ou de 10 produtos químicos diferentes encontrados no local para confirmar se as FISPQ/FDS estão completas (incluindo todas as informações detalhadas e secções) e disponíveis no local.
  • Analisar um conjunto de procedimentos como o armazenamento, separação e eliminação de produtos químicos; correspondem aos requisitos nas FISPQ/FDS?
  • As FISPQ/FDS requerem condições de armazenamento especiais (por exemplo, compatibilidade, humidade controlada, sensibilidade à temperatura, hidrorreativo, etc.)? Esses requisitos são compreendidos pelo supervisor/gerente e são cumpridos?
  • Verifique se os trabalhadores usam o EPI adequado e correspondente ao requisito referenciado nas FDS para os tipos de produtos químicos que manuseiam
  • O equipamento para controlo/contenção de derrames está devidamente a postos
  • As áreas de Armazenamento de Produtos Químicos têm sinalização adequada

Onde encontrar mais informações:

Em caso afirmativo, selecione todos os tópicos incluídos na sua formação

Quantos empregados receberam formação?

Se sim, com que frequência dá formação aos seus funcionários?

Carregamentos sugeridos: a) Amostra de formação, conteúdos cobertos durante a formação; b) Calendário da formação; c) Lista de presenças da formação dos funcionários.

As formações devem ser documentadas e cobrir os perigos e identificação dos produtos químicos; FISPQ/FDS; sinalização; compatibilidade e risco; armazenamento e manuseamento adequados; equipamento de proteção individual (EPI) e procedimentos em caso de emergência, acidentes, ou derrame; a restrição do acesso às áreas de armazenamento de produtos químicos; o impacto ambiental potencial de produtos químicos em reservatórios; a proteção física fornecida aos funcionários na(s) área(s) onde a fábrica utiliza, armazena e transporta esses reservatórios; e os seus deveres individuais, associados à monitorização e manutenção desta proteção.

Referência: Enquadramento do Sistema de Gestão de Produtos Químicos da ZDHC – Versão 1.0 (maio de 2020) – Capítulo 4

Selecione Sim Parcial se não possuir documentação ou se não cobrir todos os tópicos necessários.

Indicador-Chave de Desempenho Operacional: Práticas de Manuseamento, Utilização e Armazenamento de Produtos Químicos E Formação de Funcionários e Comunicação

Qual é a intenção desta pergunta?

A intenção consiste é a de que as instalações forneçam formação sobre manuseamento/segurança de produtos químicos antes de os trabalhadores manusearem os produtos químicos.

Os materiais da formação devem incluir uma lista dos produtos químicos perigosos e não-perigosos existentes no local, os seus procedimentos de manuseamento, medidas de controlo e planos de emergência.

De que modo isto será verificado:

Sim:

  • As formações são realizadas regularmente (pelo menos trimestralmente ou com uma frequência que permita formar todos os novos colaboradores de acordo com a taxa de rotação) ministradas por pessoal competente e são documentadas.
  • As formações devem cobrir tópicos que incluam: perigos e identificação dos produtos químicos, FISPQ/FDS, sinalização, compatibilidade e risco, armazenamento e manuseamento adequados, EPI e procedimentos em caso de emergência, acidentes, ou derrames, restrição do acesso às áreas de armazenamento de produtos químicos, impacto ambiental potencial de produtos químicos em reservatórios, a proteção física fornecida aos funcionários na(s) área(s) onde a fábrica utiliza, armazena e transporta esses reservatórios, e os seus deveres individuais, associados à monitorização e manutenção desta proteção.
  • Todos os trabalhadores responsáveis por operações relacionadas com produtos químicos frequentaram a formação.

Sim Parcial:

  • Cenário 1: as formações foram realizadas mas não foram documentadas, ou não chegaram a todos os trabalhadores relevantes, ou não foram realizadas com regularidade (anualmente).
  • Cenário 2: as formações ocorreram, mas não cobriram todos os tópicos necessários, ou seja, perigos e identificação dos produtos químicos, FISPQ/FDS, sinalização, compatibilidade e risco, armazenamento e manuseamento adequados, EPI e procedimentos em caso de emergência, acidentes, ou derrames.

Documentação necessária:

  • Formação documentada e incluindo todos os aspetos exigidos (para uma resposta sim completa)
  • Documentação parcial OU formações documentadas apenas cobrindo tópicos parciais (para o sim parcial)

Perguntas a efetuar na entrevista:

  • Entrevistar trabalhadores, durante a visita, que executem operações relacionadas com produtos químicos, para verificar se estes estão conscientes dos perigos, riscos, manuseamento correto e EPI associados aos produtos químicos, e sobre o que deve ser feito em caso de emergência ou derrame.

Inspeção – aspetos a confirmar fisicamente:

  • Revisão dos materiais da formação
  • Os funcionários responsáveis sabem consultar os materiais da formação em causa e conseguem seguir os procedimentos descritos na mesma.

Quantos funcionários receberam formação sobre este tema?

Com que frequência dá formação aos seus funcionários sobre este tema?

As suas instalações mantêm registos de todos os incidentes ambientais e com funcionários relativos a resposta a derrames e a emergências com produtos químicos?

Carregamento: Plano/procedimento de resposta a emergências

Os planos de resposta a derrames químicos e emergências devem cumprir os requisitos detalhados e especificados nas orientações, e todos os trabalhadores devem participar de um exercício simulado prático duas vezes por ano.

Referência: Enquadramento do Sistema de Gestão de Produtos Químicos da ZDHC – Versão 1.0 (maio de 2020) – Capítulo 4.3

Selecione Sim Parcial se tiver um plano de resposta a derrames químicos e emergências, mas este ainda não cobrir todos os requisitos ou se não forem realizados simulacros.

Para instalações que não utilizem produtos químicos na produção:

Responda Sim se cumprir os requisitos para produtos químicos e os planos de resposta a derrames, embora os simulacros semestrais não sejam obrigatórios.

Indicador-Chave de Desempenho Operacional: Plano de Resposta a Emergências (ERP), Plano de Remediação de Acidentes e Derrames

Qual é a intenção desta pergunta?

Espera-se que as instalações demonstrem que os trabalhadores sabem como responder em caso de emergência com produtos químicos. Todos os funcionários devem conhecer o processo, para poderem agir em caso de incidente; não é suficiente apenas ter equipamento de segurança. A resposta tem de ocorrer imediatamente, sem paragens para analisar documentos ou colocar perguntas, razão pela qual a prática periódica é importante (como os simulacros de incêndio nas escolas).

Ter um plano pode ajudar a evitar acidentes com trabalhadores e com a comunidade, para além do possível colapso financeiro da organização no caso de uma emergência química. Devido ao tempo e às circunstâncias numa emergência, não se pode confiar que os canais normais de autoridade e comunicação funcionem de modo rotineiro. A tensão da situação pode levar à tomada de decisões erradas que resultem em perdas graves. A análise periódica do planeamento de emergência química pode ajudar as suas instalações a resolverem a falta de recursos (equipamento, pessoal treinado, consumíveis) ou de sensibilização antes da ocorrência de uma emergência. Além disso, um plano de emergência promove a sensibilização para a segurança, e demonstra o compromisso da organização com a segurança dos trabalhadores. Devem também ser consultados os responsáveis municipais adequados, já que em casos de emergências importantes o controlo poderá ser exercido pelo governo local, e poderão estar disponíveis recursos adicionais. A comunicação, a formação e a realização periódica de simulacros garantirão o adequado desempenho do plano, se este precisar de ser implementado.

Orientações Técnicas:

  • É essencial a existência de um Plano de Resposta a Emergências escrito e atualizado nas instalações (que cubra todos os locais de trabalho). Deverá incluir instruções detalhadas sobre como evacuar o edifício, e os nomes/informações de contacto das pessoas responsáveis pelo procedimento de evacuação.
  • Rotas de evacuação primárias e secundárias com instruções simples que devem ser afixadas em locais significativos, nas entradas e perto dos elevadores e telefones, etc.
  • Aos Responsáveis pela Resposta a Emergências devem ser atribuídas funções específicas, como a confirmação de que todos os trabalhadores foram evacuados.
  • Os trabalhadores incapacitados e com determinado histórico clínico devem ser atribuídos a um Responsável pela Resposta a Emergências que os oriente relativamente à segurança.
  • As escadas devem estar desimpedidas de materiais que possam bloquear ou dificultar um processo de evacuação.
  • Devem ser realizados exercícios regulares de incêndio para identificar problemas antes da ocorrência real de um incêndio e, com base nas áreas problemáticas identificadas, desenvolver medidas corretivas e preventivas e implementá-las. Os exercícios devem ser tratados como se fossem uma verdadeira emergência.
  • Os números de telefone importantes, como o número de emergência, dos bombeiros e dos Responsáveis internos pela Resposta a Emergências devem ser colocados perto de todos os telefones.

Para além do Plano de Resposta a Emergências:

  • Manter um chuveiro de emergência e uma estação de lavagem ocular para remover produtos químicos que possam entrar em contacto com a pele ou os olhos.
  • Conservar um kit de primeiros-socorros que esteja claramente assinalado, facilmente disponível e protegido contra poeiras e água. O conjunto deverá incluir:
    • Uma etiqueta de inspeção para documentar as verificações mensais
    • Instruções de primeiros-socorros escritas no idioma local, e uma lista de todos os artigos presentes, com os seus prazos de validade

Referência:

  • Enquadramento do Sistema de Gestão de Produtos Químicos da ZDHC – Versão 1.0 (maio de 2020) – Capítulo 4.3

De que modo isto será verificado:

Instalações que utilizem produtos químicos nos processos produtivos.

Sim:

  • O plano/procedimento de resposta a emergências existe no papel, contendo as orientações mínimas fornecida por referência ao Enquadramento do Sistema de Gestão de Produtos Químicos da ZDHC versão 1.0 (maio de 2020) – Capítulo 4.3 e os passos a serem tomados para protegerem o meio ambiente se houver uma libertação acidental dessas substâncias.
  • O exercício/simulacro é realizado periodicamente (pelo menos, duas vezes por ano) e está bem documentado
  • Todos os trabalhadores participam do exercício/simulacro

Sim Parcial:

  • O plano/procedimento de resposta de emergência existe, mas não inclui as orientações mínimas fornecidas com referência ao Enquadramento do Sistema de Gestão de Produtos Químicos da ZDHC Versão 1.0 (maio de 2020) – Capítulo 4.3
  • O exercício/simulacro está bem documentado e é realizado periodicamente, mas menos que duas vezes por ano

Instalações que usam apenas produtos químicos nas operações das instalações

Sim

  • O plano/procedimento de resposta de emergência existe no papel, mas não inclui as orientações mínimas fornecidas com referência ao Enquadramento do Sistema de Gestão de Produtos Químicos  da ZDHC Versão 1.0 (maio de 2020) – Capítulo 4.3

Sim Parcial:

  • O plano/procedimento de resposta de emergência existe, mas não inclui as orientações mínimas fornecidas com referência ao Enquadramento do Sistema de Gestão de Produtos Químicos  da ZDHC Versão 1.0 (maio de 2020) – Capítulo 4.3
  • Instalações NA (sem ferramentas)

Documentação necessária:

  • Plano/procedimento de resposta de emergência contendo as orientações mínimas fornecidas com referência ao Enquadramento do Sistema de Gestão de Produtos Químicos  da ZDHC Versão 1.0 (maio de 2020) – Capítulo 4.3 (Para Pontuação Completa da resposta Sim)
  • O plano/procedimento de resposta de emergência existe, mas não inclui as orientações mínimas fornecidas com referência ao Enquadramento do Sistema de Gestão de Produtos Químicos  da ZDHC Versão 1.0 (maio de 2020) – Capítulo 4.3 (Para Pontuação Parcial da resposta Sim)

Perguntas a efetuar na entrevista:

  • Diretor Geral responsável pelo Plano de Resposta a Emergências
  • Conhecimento da formação e exercícios com gestores/trabalhadores

Inspeção – aspetos a confirmar fisicamente:

  • Plano de Resposta a Emergências redigido e praticado
  • Saídas de emergência claramente assinaladas, desimpedidas e destrancadas
  • O equipamento de resposta a emergências, por exemplo, conjuntos para derrames, estações de lavagem de olhos de emergência, ou extintores de incêndio, deve estar disponível no local e localizado de forma estratégica para ser facilmente acessível aos trabalhadores das áreas relevante.
  • Registo de treino/simulacro de resposta a emergências
  • FISPQ/FDS

Carregamento sugerido: a) Calendário de verificações/auditorias internas de segurança química que cubram os riscos relevantes de exposição a produtos químicos e os equipamentos de segurança, com indicação clara de responsabilidades e dos resultados das verificações/auditorias; b) Lista do inventário de EPI e de equipamentos de segurança, com o calendário de reabastecimentos, de revisões ao equipamento ou de substituições, se for o caso (ignorar no caso de já ter sido carregado).

O equipamento de proteção e segurança pode incluir conjuntos de resposta a derrames/fugas (de dimensão, tipo e localização adequados ao produto químico), chuveiros e estações de lavagem de olhos testados com regularidade, extintores de incêndio mantidos com regularidade, e Equipamento de Proteção Individual (EPI) adaptado ao produto químico (com base na FISPQ/FDS), tais como luvas adequadas, máscaras protetoras, pás de cabo comprido, etc.

O equipamento deve cumprir as especificações da Ficha de Dados de Segurança em conformidade com o GHS ou equivalente, estar claramente visível para todos os trabalhadores relevantes (isto é, não deve estar guardado num armário fechado com cadeado, e deve estar próximo da área relevante), deve ser alvo de manutenção adequada, e o seu funcionamento deve ser regularmente verificado pelo pessoal relevante.

No caso de instalações que não utilizem produtos químicos na produção: Aplica-se a todos os produtos químicos relacionados com os processos produtivos, ferramentas e equipamentos, e produtos químicos que não entrem em contacto com o produto.

Indicador-Chave de Desempenho Operacional: Práticas de Manuseamento, Utilização e Armazenamento de Produtos Químicos

Qual é a intenção desta pergunta?

Espera-se que as instalações usem a Ficha de Dados de Segurança (FDS) para definir os riscos da exposição e instalar equipamento e sinalização de prevenção/emergência em todas as áreas necessárias.

O principal objetivo deve ser proteger os trabalhadores e/ou equipas de resposta a emergências de exposições involuntárias, independentemente de ocorrerem durante a utilização normal ou devido a acidentes ou incidentes, apesar da adequabilidade dos sistemas de gestão e dos procedimentos operacionais. É importante que exista sinalização clara, para que os trabalhadores e os elementos das equipas de resposta a emergências saibam imediatamente se a substância armazenada ou manuseada pode expô-los a qualquer propriedade perigosa.

Orientações Técnicas:

Os detalhes sobre EPI são referenciados na Secção 8 da FISPQ/FDS, e devem ser adequadamente compreendidos e seguidos. Caso as instalações tenham um grande número de produtos químicos, e seja necessário ponderar a seleção de EPI adequado, aconselha-se a selecionar o EPI adequado com base na gravidade e adequabilidade todos os produtos químicos. Estudar os tipos de EPI necessários nas instalações e selecionar os tipos de EPI que consigam cobrir adequadamente todos os produtos químicos possíveis, e garantir que os produtos químicos também são segregados com base no tipo de EPI necessário ao manuseamento, para que os trabalhadores compreendam a utilização do EPI adequado a cada produto químico. Também é importante que os EPI sejam alvo de revisão periódica, e substituídos quando necessário. Essa avaliação é baseada no cálculo do intervalo de tempo em que o EPI está sendo exposto.

Outras informações

Planta das Instalações GIZ

Definições:

“adequado” – significa: do modo especificado na FDS em conformidade com o Sistema Global Harmonizado (GHS) (ou equivalente);

“funcional” – significa

  1. de fácil acesso para todos os trabalhadores relevantes (claramente visível; não armazenado num armário fechado; e próximo da área relevante),
  2. em bom estado de conservação,
  3. verificada regularmente quanto à sua funcionalidade por pessoal relevante, ou seja, por supervisores de área e pessoal de SST.

De que modo isto será verificado:

Confirmação da existência de sinalização e equipamento para manuseamento seguro e adequados pela análise local das áreas de trabalho/armazenamento nas instalações.

Por favor, tenha em mente que não há Sim Parcial para esta pergunta.

Fábrica que utiliza produtos químicos nos processos produtivos:

Sim

  • Uma planta das instalações deve detalhar as áreas físicas no recinto das instalações que estejam envolvidas no armazenamento e utilização de produtos químicos. Uma planta ilustrada pode incluir um resumo rápido das áreas mais críticas.
  • Receção e entrega
  • Áreas de armazenamento de produtos químicos (armazém centralizado e áreas de armazenamento temporário)
  • Áreas de processamento de produtos químicos
  • Áreas de fabricação/produção
  • Armazenamento de resíduos químicos (incluindo resíduos de produtos químicos e produtos químicos fora da validade)
  • Laboratórios, oficina, manutenção, etc.
  • Equipamento de proteção e segurança disponível permanentemente no local e estrategicamente colocado de modo a estar facilmente acessível aos trabalhadores nas áreas relevantes. 
  • O equipamento de proteção e segurança é adequado e está de acordo com as FISPQ/FDS em conformidade com o Sistema Global Harmonizado (GHS) (ou equivalente) para cada produto químico armazenado/usado
  • Equipamento de proteção e segurança em bom estado de conservação e regularmente verificado quanto à funcionalidade

Fábricas que usem produtos químicos apenas nas ferramentas e/ou operações das instalações:

Sim

  • Uma planta das instalações deve detalhar as áreas físicas no recinto das instalações que estejam envolvidas no armazenamento e utilização de produtos químicos. Uma planta ilustrada pode incluir um resumo rápido das áreas mais críticas.
  • Receção e entrega
  • Áreas de armazenamento de produtos químicos (armazém centralizado e áreas de armazenamento temporário)
  • Áreas de processamento de produtos químicos
  • Áreas de fabricação/produção
  • Armazenamento de resíduos químicos (incluindo resíduos de produtos químicos e produtos químicos fora da validade)
  • Laboratórios, oficina, manutenção, etc.
  • Equipamento de proteção e segurança disponível permanentemente no local e estrategicamente colocado de modo a estar facilmente acessível aos trabalhadores nas áreas relevantes. 
  • O equipamento de proteção e segurança é adequado e está de acordo com as FISPQ/FDS em conformidade com o Sistema Global Harmonizado (GHS) (ou equivalente) para cada produto químico armazenado/usado
  • Equipamento de proteção e segurança em bom estado de conservação e regularmente verificado quanto à funcionalidade

Documentação necessária: (os documentos não precisam de ser carregados, mas serão conferidos durante a verificação):

  • Calendário de verificações/auditorias internas de segurança química que cubram os riscos relevantes de exposição a produtos químicos e os equipamentos de segurança, com indicação clara de responsabilidades e dos resultados das verificações/auditorias
  • Inventário de EPI e equipamentos de segurança, com calendários de reabastecimento, manutenções ou substituições de equipamento, nos casos aplicáveis

Perguntas a efetuar na entrevista:

  • Gestão de nível superior sobre o plano de resposta a emergências das instalações
  • Visita realizada pela Gestão/Supervisão nas suas áreas de responsabilidade
  • Funcionário(s) encarregado(s) das verificações e manutenções do equipamento de proteção e segurança

Inspeção – aspetos a confirmar fisicamente:

  • Use a planta das instalações durante a visita para confirmar a exatidão/integridade
  • Visita geral nas instalações, para análise da disponibilidade e utilização adequada dos EPI por parte dos trabalhadores, e da acessibilidade dos equipamentos de segurança nas áreas relevantes, correspondentes à classificação de riscos baseada nas FISPQ/FDS
  • Sempre que possível, verificar se os equipamentos estão a funcionando, por exemplo, estações de lavagem ocular, chuveiros de emergência

Carregamentos sugeridos: Calendário de verificações/auditorias internas de segurança química que cubram os riscos relevantes de exposição a produtos químicos e as comunicações associadas (colocação e renovação de sinalização), com indicação clara de responsabilidades e dos resultados das verificações/auditorias (ignorar no caso de já ter sido carregado).

A instalação deve fixar sinalização em todas as áreas onde são armazenados ou usados produtos químicos. A sinalização deve retratar a(s) classificação(ões) de perigo dos produtos químicos. As áreas mais críticas para sinalização incluem: recebimento e entrega, áreas de armazenamento de produtos químicos (armazém central e áreas de armazenamento temporário), áreas de processamento químico, áreas de fabricação/produção, armazenamento de resíduos químicos (incluindo resíduos de produtos químicos e produtos químicos fora da validade), e laboratórios, oficina e áreas de manutenção. Deve estar disponível equipamento para manuseamento nas localizações relevantes, e o mesmo deve corresponder aos requisitos de segurança e à comunicação/sinalização de perigo para cada produto químico específico

No caso de instalações que não utilizem produtos químicos na produção: Aplica-se a todos os produtos químicos relacionados com operações e ferramentas.

Indicador-Chave de Desempenho Operacional: Práticas de Manuseamento, Utilização e Armazenamento de Produtos Químicos

Qual é a intenção desta pergunta?

Os funcionários devem saber imediatamente se uma determinada substância / químico é perigoso. A expectativa é que a instalação utilize a Ficha de Dados de Segurança para definir riscos de exposição e instalar equipamentos de prevenção/emergência e sinalização em todas as áreas onde seja necessário e rótulo de conformidade com o CLP no caso de produtos químicos para ferramentas.

O principal objetivo deve ser proteger os trabalhadores e/ou equipas de resposta a emergências de exposições involuntárias, independentemente de ocorrerem durante a utilização normal ou devido a acidentes ou incidentes, apesar da adequabilidade dos sistemas de gestão e dos procedimentos operacionais. É importante que exista sinalização clara, para que os trabalhadores e os elementos das equipas de resposta a emergências saibam imediatamente se a substância armazenada ou manuseada pode expô-los a qualquer propriedade perigosa.

Orientações Técnicas:

De que modo isto será verificado:

Confirmação da existência de sinalização e equipamento para manuseamento seguro e adequados pela análise local das áreas de trabalho/armazenamento nas instalações.

Por favor, tenha em mente que não há Sim Parcial para esta pergunta.

 

Fábrica que utiliza produtos químicos nos processos produtivos:

Sim

  • Uma planta das instalações deve detalhar as áreas físicas no recinto das instalações que estejam envolvidas no armazenamento e utilização de produtos químicos. Uma planta ilustrada pode incluir um resumo rápido das áreas mais críticas.
  • Receção e entrega
  • Áreas de armazenamento de produtos químicos (armazém centralizado e áreas de armazenamento temporário)
  • Áreas de processamento de produtos químicos
  • Áreas de fabricação/produção
  • Armazenamento de resíduos químicos (incluindo resíduos de produtos químicos e produtos químicos fora da validade)
  • Laboratórios, oficina, manutenção, etc.
  • A sinalização afixada na área de armazenamento e de operações químicas representa a classificação do(s) perigo(s) dos produtos químicos armazenados
  • A sinalização é claramente visível e compreensível pelos funcionários/trabalhadores relevantes e responsáveis pelas operações com produtos químicos
  • Está disponível equipamento para manuseamento nas localizações relevantes, e o mesmo corresponde aos requisitos de segurança e à comunicação/sinalização de perigo para cada produto químico específico

Fábricas que usem produtos químicos apenas nas ferramentas e/ou operações das instalações:

Sim

  • Uma planta das instalações deve detalhar as áreas físicas no recinto das instalações que estejam envolvidas no armazenamento e utilização de produtos químicos. Uma planta ilustrada pode incluir um resumo rápido das áreas mais críticas.
  • Receção e entrega
  • Áreas de armazenamento de produtos químicos (armazém centralizado e áreas de armazenamento temporário)
  • Áreas de processamento de produtos químicos
  • Áreas de fabricação/produção
  • Armazenamento de resíduos químicos (incluindo resíduos de produtos químicos e produtos químicos fora da validade)
  • Laboratórios, oficina, manutenção, etc.
  • A sinalização afixada na área de armazenamento e de operações químicas representa a classificação do(s) perigo(s) dos produtos químicos armazenados
  • A sinalização é claramente visível e compreensível pelos funcionários/trabalhadores relevantes e responsáveis pela utilização de produtos químicos

Documentação necessária:

  • Calendário de verificações/auditorias internas de segurança química que cubram os riscos relevantes de exposição a produtos químicos e as comunicações associadas (colocação e renovação de sinalização), com indicação clara de responsabilidades e dos resultados das verificações/auditorias

Perguntas a efetuar na entrevista:

  • Gestão de nível superior sobre o plano de resposta a emergências das instalações
  • Visita realizada pela Gestão/Supervisão nas suas áreas de responsabilidade
  • Funcionário(s) nas áreas relevantes, sobre o seu entendimento relativo à sinalização e às comunicações de perigos

Inspeção – aspetos a confirmar fisicamente:

  • Use a planta das instalações durante a visita para confirmar a exatidão/integridade
  • Visita geral das instalações, com revisão da sinalização de produtos químicos e da comunicação de perigos
  • Verificar se a sinalização corresponde às FISPQ/FDS dos produtos químicos armazenados/usados em cada área

Em caso afirmativo, todos os produtos químicos adquiridos e usados na produção cumprem a política de compra de produtos químicos da instalação?

Caso contrário, possui algum processo ou plano para eliminação dos produtos químicos que não cumprem a política de compras de produtos químicos da instalação?

(Nota: não é necessário fazer o carregamento de todos, mas precisam de estar disponíveis para revisão durante a verificação) O carregamento sugerido pode incluir alguns dos seguintes para documentos para demonstrar a prática: a) A MRSL aplicável à instalação, por exemplo a MSRL do cliente, MRSL da ZDHC e MRSL das próprias instalações (combinada com base em perigos e a MSRL de todos os clientes); b) Procedimentos de compra de produtos químicos e procedimentos operacionais padrão; c) Critérios do fornecedor/vendedor de produtos químicos; d) Listas positivas; e) Fichas de Dados de Segurança Química e FDT (ignorar, se tiverem sido carregadas anteriormente); f) Certificado de análise de composição química (os resultados do teste do produto químico para avaliar a presença de produtos químicos perigosos juntamente com perfis de impurezas); g) Certificado de conformidade com a MRSL(relatórios de verificação química do portal em conformidade com o nível do portal da ZDHC) e cartas de declaração (com evidência adequada de conformidade com a MRSL, no caso de o produto químico não estar presente no portal da ZDHC), informando a data de emissão, nome do produto químico em causa, a MRSL em função da qual declara a conformidade e o relatório do teste químico confirmando a conformidade; h) Relatórios de teste de conformidade com a MRSL, quando aplicável

MRSL é uma Lista de Substâncias Restritas na Manufatura. Normalmente, as instalações conhecem as Listas de Substâncias Restritas (RSL); porém, a indústria evoluiu recentemente no sentido das Listas de Substâncias Restritas na Indústria (MRSL) para promover a utilização de produtos químicos melhores para o ambiente, para além das Listas de Substâncias Restritas. A MRSL é importante, porque as instalações que usam produtos químicos e que estejam em conformidade com a lista, e de acordo com as instruções das especificações técnicas, terão melhores resultados ambientais nas suas descargas, bem como uma conformidade mais consistente de materiais face à RSL.

Responda Sim apenas se todos os produtos químicos adquiridos cumprirem os requisitos de compra das RSL/MRSL, e se tiver os respetivos documentos comprovativos.

Responda Sim Parcial se adquiriu produtos químicos que não têm evidência documental suficiente para provar a conformidade com a MRSL/RSL. e possui um plano claro para obter os documentos do fornecedor de produtos químicos dentro de 6 meses ou alterar o fornecedor de produtos químicos para um que possa atender aos requisitos, para aumentar a percentagem de produtos químicos que se encontrem em conformidade com as listas MRSL/RSL.

No caso de instalações que não utilizem produtos químicos na produção: todos os produtos químicos adquiridos devem cumprir estes requisitos, com documentação disponível que inclua certificados de análises de composição e FISPQ/FDS e fichas de dados técnicos nos casos aplicáveis. A MRSL deve ser incluída nas políticas de compra das suas instalações para evitar que produtos químicos não conformes entrem na instalação e garantir a conformidade com a RSL por meio do controlo de produção adequado, evitando que as violações ocorram acidentalmente e demonstrando assim um programa de conformidade total com a RSL no Higg FEM. Para produtos químicos tais como os agentes de limpeza, etc. procure o rótulo com a informação da mistura e tente verificar o COA para evitar a não conformidade com a MRSL.

Indicador-Chave de Desempenho Operacional: Práticas para Seleção e Aquisição de Produtos Químicos

Qual é a intenção desta pergunta?

A intenção consiste em motivar a compra do  produto/formulação química em conformidade com o menor risco de perigo para os trabalhadores, o local de trabalho e o consumidor.

Esta pergunta será colocada a todas as instalações, para garantir que as compras não violam a RSL nem a MRSL. Precisamos perguntar às instalações não produtivas se as MRSL são incluídas nas suas compras, para evitar a ocorrência acidental de infrações, e isso isenta este grupo de ter um programa completo de conformidade com a RSL na próxima pergunta sobre RSL.

Orientações Técnicas:

É importante discutir com os fornecedores de produtos químicos em relação à conformidade com o Nível 1-3 do Portal da ZDHC e quanto aos produtos que são aceitáveis para utilização segundo as RSL/MRSL. No entanto, é importante que a instalação não confie apenas nas declarações ou garantias dos fornecedores, mas que não deixe de pôr em funcionamento alguns processos de validação para garantir a conformidade, como relatórios de teste de laboratórios competentes certificados pela ISO 17025 e aprovados para a realização desses testes. É importante discutir com os fornecedores de produtos químicos/materiais os detalhes dos seus produtos relativo às condições de funcionamento das instalações e às suas limitações sobre as concentrações das receitas, etc.

Portal da ZDHC de Produtos Químicos, BLUESIGN®, OEKO-TEX®, ecopassport, certificados de conformidade, certificados de análise

De que modo isto será verificado:

Instalações que utilizem produtos químicos nos processos produtivos:

Sim:

  • Todos os produtos químicos cumprem os requisitos das listas MRSL/ RSL, e existem documentos que comprovam isto. Os níveis de conformidade  (1, 2 e 3) segundo a MRSL da ZDHC, do módulo de produtos químicos do portal da ZDHC, devem ser usados para a determinação da conformidade dos produtos químicos e para o desenvolvimento de listas de produtos químicos aprovados. Para mais informações sobre a conformidade ZDHC MRSL, consulte a Orientação de Conformidade ZDHC MRSL.
  • As instalações configuram estrategicamente a sua própria MRSL de produtos químicos com base nos seus riscos e cobrem todos os requisitos das MRSL e RSL de várias marcas com as quais estão trabalham, ou implementam uma estratégia para usar produtos químicos compatíveis de uma lista ativa que cobre todas as MRSL, por exemplo. o sistema Bluesign.
  • As instalações efetuam compras estratégicas de produtos químicos que certificam cumprir as listas MRSL e RSL quando adequadamente usados, como o químico aprovado pelo Bluesign (c), Ecopassport da OekoTex. Estas declarações/certificações são verificadas quanto à validade e atualizadas pelo menos uma vez por ano.
  • Se as certificações acima não estiverem disponíveis, a instalação deve adquirir produtos químicos que possuam uma declaração em como cumprem as listas MRSL e a RSL pelo fornecedor do produto químico, acompanhados de relatório analítico/teste efetuado por um laboratório terceiro, para fundamentar a declaração. A declaração e o relatório analítico são verificados quanto à validade e atualizados pelo menos anualmente.
  • Está implementada nas instalações uma política interna de compras que inclui referências e critérios para a seleção e utilização de fornecedores de corantes e de produtos químicos. Os procedimentos de compra devem incluir (entre outros): o processo de comunicação da MRSL/RSL aos fornecedores de produtos químicos, o processo para obtenção da confirmação/declaração de conformidade dos fornecedores com as listas MRSL/RSL, a recolha de Listas de Positivas atualizadas junto dos fornecedores de produtos químicos, a preferência por compra de produtos químicos incluídos nas Listas Positivas, ordens de compra com observações que indiquem a obrigatoriedade da conformidade com as MRSL na sua versão adequada, especificações técnicas e critérios de aceitação de produtos químicos, medidas a tomar no caso de deteção de defeitos ou desvios aos requisitos.
  • O departamento de compras e a gestão conhecem a MRSL e os procedimentos de compra, para garantirem que os requisitos são cumpridos
  • A instalação tem um certificado de análise (quando aplicável) do fornecedor de produtos químicos que obteve o relatório de teste de um laboratório aprovado para o teste de MRSL para a composição, incluindo contaminantes de baixo nível, juntamente com uma FISPQ/FDS e uma ficha de dados técnicos. Estes certificados de análise são atualizados pelo menos anualmente, e mantidos durante um ano. As Fichas de Dados Técnicos (FDT) são os documentos em que o fornecedor de produtos químicos fornece as informações sobre como usar o produto químico, requisitos de dosagem, condições necessárias para o processo de aplicação, entre outras informações. Portanto, é importante que todas as instalações solicitem as Fichas de Dados Técnicos (FDT) e consultem as informações antes de solicitar a aplicação.
  • Está disponível para os executivos de nível superior um sistema de monitorização / painel para indicar o nível geral de conformidade com os requisitos do processo para o padrão de compra
  • Para produtos químicos não utilizados no processo de fabricação (por exemplo, lubrificantes, produtos químicos de limpeza …), pode não ser possível coletar certificados de conformidade com MRSL ou certificados de análise. Para esses tipos de produtos químicos as instalações têm um processo para rever a lista de ingredientes em relação à MRSL / RSL para verificar se esses produtos químicos estão em conformidade com essas listas de substâncias.

Sim Parcial:

  • As instalações podem ter produtos químicos não conformes, mas demonstram um processo para eliminação.
  • O departamento de compras e a gestão conhecem a MRSL e os procedimentos de compra, para garantirem que os requisitos são cumpridos
  • A instalação geralmente compra os produtos químicos com base nos requisitos da MRSL, o que é evidenciado pelo acordo dos fornecedores a montante sobre a MRSL, ou certificado de conformidade ou cartas de declaração.
  • O certificado de conformidade com a MRSL e as cartas de declaração emitidas pelos fornecedores de produtos químicos precisam indicar claramente: data da emissão, nome do produto químico em questão, a MRSL que está declarando conformidade (anexada) e relatório de teste químico interno que confirma a conformidade.

Instalações que usem produtos químicos apenas nas ferramentas e/ou operações das instalações:

Sim:

  • Todos os produtos químicos atendem aos requisitos MRSL e RSL, e a documentação está disponível para demonstrar isso.
  • A instalação possui um processo que detalha os critérios necessários para a seleção de uma formulação química / produto químico através do uso de especificações técnicas e riscos associados à compra.
  • O departamento e a gestão de compras estão cientes das MRSL / RSL e dos procedimentos de compra para garantir que os requisitos sejam atendidos
  • A instalação possui um certificado de análise para a composição, incluindo contaminantes de baixo nível, juntamente com uma FISPQ/FDS e uma ficha técnica. Estes certificados de análise são atualizados pelo menos anualmente, e mantidos durante um ano.

Sim Parcial:

  • A instalação tem um processo para assegurar a conformidade dos produtos químicos contra uma MRSL / RSL, mas não é aplicado a 100% dos produtos químicos do inventário. Nesses casos, a instalação deve demonstrar um processo para obter as evidências documentais necessárias para a conformidade da MRSL com o fornecedor de produtos químicos dentro de um prazo estipulado ou um plano de mudança para um fornecedor de produtos químicos que atenda ao requisito e possa enviar a documentação / certificação necessária.
  • O departamento e a gestão de compras estão cientes das MRSL / RSL e dos procedimentos de compra para garantir que os requisitos sejam atendidos
  • A instalação geralmente compra os produtos químicos com base nos requisitos da MRSL / RSL, o que é evidenciado pelo acordo dos fornecedores a montante na MRSL / RSL, certificado de conformidade ou cartas de declaração.
  • O certificado de conformidade com a MRSL / RSL e as cartas de declaração emitidas pelos fornecedores de produtos químicos precisam indicar claramente: data da emissão, nome do produto em questão, a MRSL / RSL que está declarando conformidade (anexada) e relatório de teste químico interno que confirma a conformidade.

Documentação necessária:

  • Consulte acima os requisitos para o Sim e o Sim Parcial.
  • MRSL (s) aplicável (s) à instalação, p. MRSL do cliente, ZDHC MRSL, MRSL própria da instalação (crie uma MRSL combinada e baseada em riscos de todos os clientes ou siga a MRSL criada para cobrir todos os requisitos de Marcas e Revendedores).
  • RSL
  • Procedimentos de compra de produtos químicos e Procedimentos Operacionais Padrão
  • Critérios para fornecedores/vendedores de produtos químicos
  • Níveis de Conformidade do Módulo de Produtos Químicos do Portal da ZDHC para 1 – 3
  • Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos (FISPQ) e Fichas de Dados Técnicos (FDT)
  • Certificado de relatórios de teste de análise de formulação química para verificação de quaisquer impurezas presentes na composição química
  • Certificado de conformidade com a MRSL e cartas de declaração indicando a data de emissão, nome do produto químico em questão, a MRSL que está declarando conformidade (em anexo) e relatório de teste químico confirmando a conformidade
  • Relatórios de análise de conformidade com MRSL, se for o caso

Perguntas a efetuar na entrevista:

  • Gerente de compras com conhecimento sobre MRSL e perigos químicos, e política e procedimentos de compra relacionados a MRSL

Inspeção – aspetos a confirmar fisicamente:

  • Revisão de documentos, p. certificados, política e procedimentos de compra, lista de fornecedores de produtos químicos, comunicações relevantes sobre os requisitos de MRSL, contrato de compra com fornecedores de produtos químicos, critérios de fornecedores, etc.

Onde consultar mais informações (por exemplo, links ou websites):

(Nota: não é necessário fazer o carregamento de todos, mas precisam de estar disponíveis para revisão durante a verificação) O carregamento sugerido pode incluir alguns dos seguintes documentos para demonstrar a prática: a) Carta de nomeação, descrição do trabalho, organograma do responsável de EHS; b) Curriculum Vitae da pessoa/equipa responsável, registos de experiência/formação que demonstrem conteúdos relevantes na gestão de produtos químicos; c) Procedimentos de Meio Ambiente, Saúde e Segurança relacionados com o armazenamento, manuseamento, uso e eliminação de produtos químicos; d) Inventário de produtos químicos com perigos identificados com FISPQ/FDS, fichas técnicas disponíveis e usadas pelo pessoal de Saúde e Segurança Ambiental (ignorar se já tiverem sido carregadas anteriormente); e) Licenças com limites operacionais e leis relevantes que regem os requisitos de saúde e segurança para armazenamento, operação e eliminação de produtos químicos (ignorar se já tiverem sido carregados anteriormente); f) Registos de incidentes/acidentes químicos e derramamentos (ignorar se já tiverem sido carregados anteriormente); g) Diário de Saúde e Segurança (primeiros socorros e posto de saúde)

Os programas de saúde e segurança de produtos químicos devem ter uma pessoa ou equipa responsável, cumprir os requisitos legais de saúde e segurança, e ter procedimentos escritos para o armazenamento, o manuseamento, a utilização e a descarga de produtos químicos, e controlos ambientais para os resíduos ou descargas para o ambiente.

Selecione Sim Parcial se o seu programa de saúde e segurança relativo a produtos químicos estiver completo, mas ainda não tiver sido documentado por escrito.

Indicador-Chave de Desempenho Operacional: Práticas de Manuseamento, Utilização e Armazenamento de Produtos Químicos

Qual é a intenção desta pergunta?

Este programa pretende proteger as pessoas e o ambiente de exposições. As instalações devem possuir um processo para identificar e controlar os impactos potenciais, sobre a saúde e segurança, dos produtos químicos armazenados, usados e eliminados.

A exposição a produtos químicos pode acontecer por várias vias. As instalações devem identificar funções e responsabilidades de saúde e segurança, e mecanismos de controlo adequados para a proteção da saúde e da segurança, e um mecanismo para redução dos impactos potenciais sobre a saúde e segurança. O conhecimento dos perigos e das vias de exposição existente nas FISPQ/FDS é o ponto inicial de um programa de Saúde, Segurança e Meio Ambiente.

Orientações Técnicas:

Enquadramento do Sistema de Gestão de Produtos Químicos da ZDHC – Versão 1.0 (maio de 2020) – Capítulo 2

Formação adicional:

  • Formação de CMS da ZDHC
  • Registos de formação em gestão de produtos químico com o conteúdo da formação. Os requisitos de formação para a gestão de produtos químicos devem ser específicos para as instalações e não poderão limitar-se apenas a algumas elaborações sobre secções importantes.

De que modo isto será verificado:

Instalações que utilizem produtos químicos nos processos produtivos:

Sim:

  • A instalação possui uma pessoa ou equipa designada e dedicada à gestão de produtos químicos, com qualificações apropriadas para entender e aprovar medidas adequadas de segurança e saúde ocupacional indicadas nas FISPQ/FDS e/ou nas Fichas de Dados Técnicos (FDT) para proteger os trabalhadores, a comunidade e o meio ambiente.
  • Foi realizada uma avaliação básica do risco químico, que envolveu a identificação do risco e do perigo ou danos potenciais resultantes de uma atividade específica nas instalações e relacionada com a utilização de um produto químico. Por exemplo, utilizar um produto químico específico na quantidade e modo propostos, considerando as possíveis vias de exposição ao produto químico. A avaliação também deverá identificar os vários tipos de produtos químicos e de resíduos perigosos nos processos produtivos que sejam relevantes para as instalações e que possam afetar a qualidade dos efluentes. A avaliação do risco químico pode ser realizada de forma autônoma ou integrada no relatório de avaliação ambiental.
  • O funcionamento das instalações respeita todos os requisitos de licenças/permissões sobre saúde e segurança relativos a produtos químicos, existe monitorização e notificação rotineiras à gestão de nível superior.
  • Existem procedimentos escritos sobre segurança e saúde relativos ao armazenamento, manuseamento, utilização e eliminação de produtos químicos, e controlos ambientais básicos para os potenciais impactos ambientais identificados a partir do inventário de produtos químicos e devidos a resíduos ou descargas: na atmosfera, solo, águas subterrâneas, ruído, resíduos e lodos, efluentes. Os procedimentos também devem considerar as catástrofes naturais mais prováveis na região, por exemplo, áreas propensas a chuvas fortes e cheias, terramotos, furacões, etc.
  • Um processo básico de saúde/bem-estar está disponível no local ou através de terceiros, sempre que são manuseados produtos químicos perigosos, ou ocorre uma exposição.

Sim Parcial:

  • A instalação possui uma pessoa ou equipa designada e dedicada ao gestão de produtos químicos, com qualificações apropriadas para entender e aprovar medidas adequadas de segurança e saúde ocupacional indicadas nas FISPQ/FDS e/ou nas fichas técnicas para proteger os trabalhadores, a comunidade e o meio ambiente.
  • O funcionamento das instalações respeita todos os requisitos de licenças/permissões sobre saúde e segurança relativos a produtos químicos, existe monitorização e notificação rotineiras à gestão de nível superior.
  • As instalações identificaram os potenciais perigos ambientais, para a saúde e para a segurança relacionados com o armazenamento, manuseamento, utilização e eliminação de algumas partes do seu funcionamento com produtos químicos, e os perigos potenciais estão corretamente identificados, com base nas FISPQ e nas FDT. Porém, não foi realizada uma avaliação exaustiva do risco químico nas instalações.
  • Existem procedimentos e práticas seguidas de saúde e segurança relacionados com o armazenamento, manuseamento, utilização, eliminação e controlos básicos ambientais de produtos químicos, para os potenciais impactos ambientais dos produtos químicos, mas não estão escritos nem documentados.

Instalações que usem produtos químicos apenas nas ferramentas e/ou operações das instalações:

Sim:

  • A instalação possui uma pessoa ou equipa designada e dedicada à gestão de produtos químicos, com qualificações apropriadas para entender e aprovar medidas adequadas de segurança e saúde ocupacional indicadas nas FISPQ/FDS e/ou nas Fichas de Dados Técnicos (FDT) para proteger os trabalhadores, a comunidade e o meio ambiente.
  • O funcionamento das instalações respeita todos os requisitos de licenças/permissões sobre saúde e segurança relativos a produtos químicos, existe monitorização e notificação rotineiras à gestão de nível superior.
  • Existem procedimentos escritos sobre segurança e saúde relativos ao armazenamento, manuseamento, utilização e eliminação de produtos químicos, e controlos ambientais básicos para os potenciais impactos ambientais identificados a partir do inventário de produtos químicos e devidos a resíduos ou descargas: na atmosfera, solo, águas subterrâneas, ruído, resíduos e lodos, efluentes. Os procedimentos também devem considerar as catástrofes naturais mais prováveis na região, por exemplo, áreas propensas a chuvas fortes e cheias, terramotos, furacões, etc.
  • Um processo básico de saúde/bem-estar está disponível no local ou através de terceiros, sempre que são manuseados produtos químicos perigosos, ou ocorre uma exposição.

Sim Parcial:

  • A instalação possui uma pessoa ou equipa designada e dedicada à gestão de produtos químicos, com qualificações apropriadas para entender e aprovar medidas adequadas de segurança e saúde ocupacional indicadas nas FISPQ/FDS e/ou nas Fichas de Dados Técnicos (FDT) para proteger os trabalhadores, a comunidade e o meio ambiente.
  • O funcionamento das instalações respeita todos os requisitos de licenças/permissões sobre saúde e segurança relativos a produtos químicos, existe monitorização e notificação rotineiras à gestão de nível superior.
  • Existem procedimentos e práticas de saúde e segurança relacionadas com o armazenamento, manuseamento, utilização e eliminação de produtos químicos, e controlos ambientais básicos para os potenciais impactos ambientais dos produtos químicos, mas não estão escritos nem documentados.

Documentação necessária:

  • Carta de nomeação, descrição do trabalho, organograma
  • Curriculum Vitae da pessoa/equipa responsável
  • Procedimentos de Saúde, Segurança e Meio Ambiente relacionados ao armazenamento, manuseamento, uso e descarga de produtos químicos
  • Inventário de produtos químicos com perigos identificados com a FISPQ, fichas técnicas disponíveis e usadas pelo pessoal de Saúde, Segurança e Meio Ambiente
  • Licenças com limites operacionais e leis relevantes que governem os requisitos sobre saúde e segurança para o armazenamento, utilização e eliminação de produtos químicos
  • Registos de derrames e de acidentes com produtos químicos
  • Registo de Eventos de Saúde e Segurança (Primeiros-Socorros e posto de saúde)

Perguntas a efetuar na entrevista:

  • Saúde, Segurança e Meio Ambiente, pessoa / equipa responsável por produtos químicos na sua compreensão da saúde e segurança relacionada ao armazenamento, operações e descarga de produtos químicos e suas responsabilidades relevantes, incluindo verificações / auditorias EHS em toda a instalação, posicionamentos e disponibilidade de EPI, manutenção de equipamentos de segurança, plano de resposta a emergências, etc. A pessoa responsável também deve estar consciente das catástrofes naturais mais prováveis na região onde se situam as instalações, por exemplo, áreas propensas a chuvas fortes e cheias, terramotos, furacões, etc., e do modo como essas considerações são incluídas no planeamento de Saúde, Segurança e Meio Ambiente relativo à exposição a produtos químicos provocada por catástrofes naturais.
  • Posto de saúde/médico, equipa de resposta a emergências (se disponível)
  • Médico, enfermeiro, técnico de saúde, se disponível no local

Inspeção – aspetos a confirmar fisicamente:

  • Verificar se a pessoa/equipa responsável está no seu posto e está devidamente habilitada a gerir o programa de Saúde, Segurança e Meio Ambiente relativo à gestão de produtos químicos
  • Inventário de produtos químicos com perigos identificados com FISPQ/FDS e fichas técnicas estão disponíveis para o pessoal de Saúde, Segurança e Ambiente (EHS) e são usadas como base do programa de EHS, por exemplo acidentes químicos e plano de resposta a emergências, equiparação de segurança e colocação de EPI, formação de trabalhadores, verificação regular e manutenção de utilitários de EHS
  • Iluminação e tomadas elétricas à prova de explosão disponíveis nas áreas de utilização e armazenamento de produtos inflamáveis

Em caso afirmativo, selecione todos os que se aplicam

  • A área de armazenamento de produtos químicos está ventilada, seca e protegida das intempéries, e do risco de incêndio.
  • A área de armazenamento está protegida de funcionários não-autorizados (por exemplo, fechada à chave).
  • A área de armazenamento químico está claramente marcada.
  •  A área de armazenamento de produtos químicos tem fácil entrada e saída em caso de emergência.
  • Os contentores para armazenamento estão em boas condições, são adequados ao seu conteúdo, estão fechados e devidamente rotulados de acordo com o seu conteúdo.
  • O piso da área de armazenamento é sólido e não poroso, não existe dreno de água para onde os produtos químicos possam derramar e não existem evidências de líquidos derramados
  • Está disponível contenção secundária para produtos químicos sólidos e líquidos em reservatórios, tambores e contentores temporários (se for o caso) para garantir que não acontecem descargas involuntárias.
  • Substâncias incompatíveis (tais como ácidos forte e bases fortes) são armazenadas separadamente.
  • As substâncias inflamáveis estão afastadas de fontes de calor ou de ignição, e utiliza-se o aterramento e iluminação à prova de explosões.
  • Os contentores de armazenamento temporários estão fechados e rotulados com o conteúdo, lote e classe de perigo.

(Nota: não é necessário fazer o carregamento de todos, mas precisam de estar disponíveis para revisão durante a verificação) O carregamento sugerido pode incluir alguns dos seguintes documentos para demonstrar a prática: a) Desenho das instalações ou plano de resposta de emergência com as autoridades locais, quando aplicável (ignorar se já tiverem sido carregados anteriormente ); b) Licença de armazenamento/utilização com restrições (se aplicável); c) Códigos locais de incêndio; d) As FISPQ/FDS e fichas técnicas no idioma local (ignorar se já tiverem sigo carregadas anteriormente); e) Rotulagem química em recipientes de produtos químicos (rotulagem original, sem rótulos manuscritos); f) Planta do piso de armazenamento de produtos químicos, especificando a categorização e localização dos diferentes tipos de produtos químicos; g) Registo de entrada/saída em armazém, registos FIFO, para cada produto químico, especificando a data de chegada ao armazenamento, número do lote, datas de validade do produto químico, data de envio para a produção, etc. (ignorar se já tiverem sido carregadas anteriormente); h) Listas de verificação de auditorias/inspeções de gestão de áreas de armazenamento de produtos químicos; i) Procedimentos operacionais padrão para armazenamento adequado de produtos químicos.

O armazenamento adequado de produtos químicos é tão importante para a segurança como o seu manuseamento adequado. Por vezes, opções de armazenamento aparentemente lógicas, como dispor os produtos químicos em ordem alfabética, pode fazer com que produtos químicos incompatíveis sejam armazenados conjuntamente. As instalações devem demonstrar que todas as áreas de armazenamento estão bem assinaladas e que são adequadamente geridas para evitar contaminações e riscos de segurança. O armazenamento temporário ocorre no local em que os produtos químicos são aplicados, como no caso de uma estação de serigrafia. As perguntas sobre armazenamento temporário só se aplicam a fábricas que usem produtos químicos nos processos produtivos.

Receberá a Pontuação completa se cumprir todos os critérios de armazenamento.

Receberá uma Pontuação parcial se cumprir metade de todos os critérios de armazenamento.

Indicador-Chave de Desempenho Operacional: Práticas de Manuseamento, Utilização e Armazenamento de Produtos Químicos

Qual é a intenção desta pergunta?

A expectativa é que as instalações consigam demonstrar de forma clara que todas as áreas de armazenamento estão bem assinaladas e que são adequadamente geridas para evitar contaminações e riscos de segurança.

O armazenamento adequado de produtos químicos é tão importante para a segurança como o seu manuseamento adequado. Em todas as instalações existe uma gama considerável de produtos químicos que requer um armazenamento seguro. O armazenamento de produtos químicos em um edifício precisa de um design apropriado para armazenar vários materiais perigosos em uma área segura e segregada. Por vezes, opções de armazenamento aparentemente lógicas, como dispor os produtos químicos em ordem alfabética, pode fazer com que produtos químicos incompatíveis sejam armazenados conjuntamente. O armazenamento e as quantidades devem ser conhecidos pelos socorristas, bombeiros, etc., para obter uma resposta adequada.

Orientações Técnicas:

Enquadramento do Sistema de Gestão de Produtos Químicos da ZDHC – Versão 1.0 (maio de 2020) – Capítulo 3

Modelos a criar:

  • Plano de Resposta a Emergências (modelo) – disponível no ZDHC CMS com link

Onde consultar mais informações (por exemplo, links ou websites):

De que modo isto será verificado:

Instalações que utilizem produtos químicos nos processos produtivos:

Pontuação completa:

  • A área de armazenamento de produtos químicos (armazém e armazéns temporários, incluindo armazém subterrâneo) está ventilada, seca, e protegida da exposição direta a intempéries (com telhado e paredes), do risco de incêndio e de funcionários não-autorizados, ou seja, fechada à chave. As autorizações de acesso estão claramente definidas.
  •  A área de armazenamento de produtos químicos tem fácil entrada e saída em caso de emergência.
  • O pavimento é sólido e não poroso, não existe escoamento de águas para onde os produtos químicos possam derramar, e não existem evidências de líquidos derramados
  • Os produtos químicos estão armazenados de modo a evitar o contacto direto com os pavimentos e paredes
  • Todos os produtos químicos existentes no armazém e nas áreas de armazenamento temporário estão claramente assinalados, com cada produto químico devidamente identificado por sinalização visível que contém, no mínimo, o nome do produto químico e os avisos de perigo adequados (sinalização em conformidade com o Sistema Global Harmonizado (GHS), ou equivalente), de acordo com as FISPQ/FDS
  • Todos as embalagens de produtos químicos no armazém e no armazenamento temporário estão em boas condições, identificados com o seu rótulo original, número de lote, nome do produto, nome do fornecedor/fabricante, e classe de perigo
  • As embalagens temporárias/subcontentores estão devidamente etiquetadas com informações exatas e consistentes com o rótulo da embalagem original
  • Os produtos químicos diferentes estão devidamente segregados com divisórias adequadas
  • Os produtos químicos sólidos e líquidos estão devidamente segregados
  • Os produtos químicos estão armazenados de forma organizada, categorizados pelas suas classificações de perigo de acordo com os seus rótulos originais e as suas FISPQ/FDS
  • As substâncias incompatíveis, por exemplo, ácidos fortes, bases fortes, corrosivas, inflamáveis, etc. estão identificadas e são armazenadas à parte.
  • As substâncias inflamáveis estão afastadas de fontes de calor ou de ignição, e utiliza-se o aterramento e iluminação à prova de explosões. Todos os materiais combustíveis ou inflamáveis se situam pelo menos a ~15 metros (50 pés) das áreas de fumantes
  • Os produtos químicos fora da validade são regularmente monitorizados, assinalados de forma visível, armazenados separadamente e devidamente rotulados
  • Estão facilmente acessíveis, no armazém e nas áreas de armazenamento temporário, FISPQ/FDS num idioma que os trabalhadores compreendem.
  • As condições de armazenamento como a temperatura, a humidade, ou acessórios à prova de explosão são cumpridas de acordo com as FISPQ/FDS
  • Os EPI e kits para derrames são adequados e têm acesso fácil
  • Todos os contentores de corantes e produtos químicos existentes no armazém e no armazenamento temporário estão devidamente fechados com tampa e não estão excessivamente empilhados.
  • Está disponível contenção secundária para produtos químicos sólidos e líquidos em reservatórios, tambores e contentores temporários (se for o caso) para garantir que não acontecem descargas involuntárias. A contenção secundária está em boas condições, sem fissuras nem fendas. No mínimo, a capacidade da contenção secundária deve ser pelo menos 110% da capacidade da embalagem original (primário) do produto químico, ou ser capaz de conter pelo menos 10% do volume total da embalagem original (primário).
  • Cada produto químico e pigmento tem uma concha (ou recipiente, balde, colher, etc) individual e devidamente rotulada, especificamente para esse produto químico.
  • As conchas e os recipientes temporários, por exemplo, os baldes, são feitos de material estável para evitar corrosão/reações químicas com os produtos químicos. Sugere-se evitar recipientes que transportem produtos químicos que reagem ou lixiviem resíduos químicos perigosos, ou seja, devem ser evitados materiais constituídos por PVC e ferro.
  • Os equipamentos de pesagem estão colocados numa superfície limpa, seca, uniforme e plana.
  • A planta das instalações e o plano de resposta a emergências estão atualizados e são partilhados com as autoridades locais, nos casos aplicáveis
  • Quando necessário, existe aterramento e ligação (risco de incêndio)
  • São realizadas inspeções periódicas (periodicidade semanal recomendada)

Pontuação Parcial: (cumpre, pelo menos, metade dos critérios abaixo referidos)

  • A área de armazenamento de produtos químicos (armazém e armazéns temporários, incluindo armazém subterrâneo) está ventilada, seca, e protegida da exposição direta a intempéries (com telhado e paredes), do risco de incêndio e de funcionários não-autorizados, ou seja, fechada à chave. As autorizações de acesso estão claramente definidas.
  •  A área de armazenamento de produtos químicos tem fácil entrada e saída em caso de emergência.
  • O pavimento é sólido e não poroso, não existe escoamento de águas para onde os produtos químicos possam derramar, e não existem evidências de líquidos derramados
  • Os produtos químicos estão armazenados de modo a evitar o contacto direto com os pavimentos e paredes
  • Todos os produtos químicos existentes no armazém e nas áreas de armazenamento temporário estão claramente assinalados, com cada produto químico devidamente identificado por sinalização visível que contém, no mínimo, o nome do produto químico e os avisos de perigo adequados (sinalização em conformidade com o Sistema Global Harmonizado (GHS), ou equivalente), de acordo com as FISPQ/FDS
  • Todos as embalagens de produtos químicos no armazém e no armazenamento temporário estão em boas condições, identificados com o seu rótulo original, número de lote, nome do produto, nome do fornecedor/fabricante, e classe de perigo
  • As embalagens temporárias/subcontentores estão devidamente etiquetadas com informações exatas e consistentes com o rótulo da embalagem original
  • Os produtos químicos diferentes estão devidamente segregados com divisórias adequadas
  • Os produtos químicos sólidos e líquidos estão devidamente segregados
  • Os produtos químicos estão armazenados de forma organizada, categorizados pelas suas classificações de perigo de acordo com os seus rótulos originais e as suas FISPQ/FDS
  • As substâncias incompatíveis, por exemplo, ácidos fortes, bases fortes, corrosivas, inflamáveis, etc. estão identificadas e são armazenadas à parte.
  • As substâncias inflamáveis estão afastadas de fontes de calor ou de ignição, e utiliza-se o aterramento e iluminação à prova de explosões. Todos os materiais combustíveis ou inflamáveis se situam pelo menos a ~15 metros (50 pés) das áreas de fumantes
  • Os produtos químicos fora da validade são regularmente monitorizados, assinalados de forma visível, armazenados separadamente e devidamente rotulados
  • Estão facilmente acessíveis, no armazém e nas áreas de armazenamento temporário, FISPQ/FDS num idioma que os trabalhadores compreendem.
  • As condições de armazenamento como a temperatura, a humidade, ou acessórios à prova de explosão são cumpridas de acordo com as FISPQ/FDS
  • Os EPI e kits para derrames são adequados e têm acesso fácil
  • Todos os contentores de corantes e produtos químicos existentes no armazém e no armazenamento temporário estão devidamente fechados com tampa e não estão excessivamente empilhados.
  • Está disponível contenção secundária para produtos químicos sólidos e líquidos em reservatórios, tambores e contentores temporários (se for o caso) para garantir que não acontecem descargas involuntárias. A contenção secundária está em boas condições, sem fissuras nem fendas. No mínimo, a capacidade da contenção secundária deve ser pelo menos 110% da capacidade da embalagem original (primário) do produto químico, ou ser capaz de conter pelo menos 10% do volume total da embalagem original (primário).
  • Cada produto químico e pigmento tem uma concha (ou recipiente, balde, colher, etc) individual e devidamente rotulada, especificamente para esse produto químico.
  • As conchas e os recipientes temporários, por exemplo, os baldes, são feitos de material estável para evitar corrosão/reações químicas com os produtos químicos. Sugere-se evitar recipientes que transportem produtos químicos que reagem ou lixiviem resíduos químicos perigosos, ou seja, devem ser evitados materiais constituídos por PVC e ferro.
  • Os equipamentos de pesagem estão colocados numa superfície limpa, seca, uniforme e plana.
  • A planta das instalações e o plano de resposta a emergências estão atualizados e são partilhados com as autoridades locais, nos casos aplicáveis
  • Quando necessário, existe aterramento e ligação (risco de incêndio)
  • São realizadas inspeções periódicas (periodicidade semanal recomendada)

Instalações que usem produtos químicos apenas nas ferramentas e/ou operações das instalações:

Pontuação completa:

  • Os produtos químicos estão armazenados de modo a evitar o contacto direto com os pavimentos e paredes
  • Os produtos são armazenados em locais ventilados e secos, e estão protegidos da exposição direta a intempéries.
  • Os produtos químicos sólidos e líquidos (se for o caso) estão devidamente segregados
  • As embalagens de produtos químicos estão em boas condições, identificados pela sua rotulagem original e classe de perigo
  • As substâncias inflamáveis (se for o caso) são mantidas longe de fontes de calor ou ignição. Todos os materiais combustíveis ou inflamáveis se situam pelo menos a ~15 metros (50 pés) das áreas de fumantes
  • Está disponível contenção secundária (se for o caso) para garantir que não acontecem descargas involuntárias. A contenção secundária está em boas condições, sem fissuras nem fendas. No mínimo, a capacidade da contenção secundária deve ser pelo menos 110% da capacidade da embalagem original (primário) do produto químico, ou ser capaz de conter pelo menos 10% do volume total da embalagem original (primário).
  • São facilmente acessíveis/visíveis as FISPQ/FDS (se for o caso) ou outras comunicações de perigo, em um idioma que os trabalhadores compreendem.
  • Os EPI e kits para derrames são adequados e têm acesso fácil (nos casos aplicáveis)
  • A planta das instalações e o plano de resposta a emergências estão atualizados e são partilhados com as autoridades locais, nos casos aplicáveis
  • As instalações possuem um programa de monitorização na gestão do armazenamento dos produtos químicos nos seus subcontratados.

Pontuação Parcial: (cumpre, pelo menos, metade dos critérios abaixo referidos)

  • Os produtos químicos estão armazenados de modo a evitar o contacto direto com os pavimentos e paredes
  • Os produtos são armazenados em locais ventilados e secos, e estão protegidos da exposição direta a intempéries.
  • Os produtos químicos sólidos e líquidos (se for o caso) estão devidamente segregados
  • As embalagens de produtos químicos estão em boas condições, identificados pela sua rotulagem original e classe de perigo
  • As substâncias inflamáveis (se for o caso) são mantidas longe de fontes de calor ou ignição. Todos os materiais combustíveis ou inflamáveis se situam pelo menos a ~15 metros (50 pés) das áreas de fumantes
  • Está disponível contenção secundária (se for o caso) para garantir que não acontecem descargas involuntárias. A contenção secundária está em boas condições, sem fissuras nem fendas. No mínimo, a capacidade da contenção secundária deve ser pelo menos 110% da capacidade da embalagem original (primário) do produto químico, ou ser capaz de conter pelo menos 10% do volume total da embalagem original (primário).
  • São facilmente acessíveis/visíveis as FISPQ/FDS (se for o caso) ou outras comunicações de perigo, em um idioma que os trabalhadores compreendem.
  • Os EPI e kits para derrames são adequados e têm acesso fácil (nos casos aplicáveis)
  • A planta das instalações e o plano de resposta a emergências estão atualizados e são partilhados com as autoridades locais, nos casos aplicáveis

Documentação necessária:

  • Planta das instalações e plano de resposta a emergências com as autoridades locais, nos casos aplicáveis
  • Licença de armazenamento/utilização com restrições (se for aplicável)
  • Códigos locais de incêndio
  • FISPQ/FDS e fichas técnicas no idioma local
  • Rotulagem de produtos químicos nos contentores de produtos químicos (rotulagem original, sem rótulos manuscritos)
  • Planta das áreas de armazenamento de produtos químicos, que especifique a categorização e as colocações dos vários tipos de produtos químicos
  • Registo de entradas/saídas de armazém, registos FIFO, para cada produto químico, especificando a data de entrada no armazém, o número do lote, as datas de validade dos produtos químicos, a data de envio para a produção, etc.
  • Auditorias de gestão/listas de verificação para inspeções das áreas de armazenamento de produtos químicos
  • Procedimentos Operacionais Normalizados para o armazenamento adequado de produtos químicos

Perguntas a efetuar na entrevista:

  • Verificar a compreensão do supervisor responsável, e dos trabalhadores, quanto à familiaridade com as FISPQ/FDS, CLP.
  • Conseguem explicar a classificação de perigos para os produtos químicos na sua área de trabalho?
  • Verificar a sua compreensão dos símbolos de perigo e da compatibilidade no armazenamento.

Inspeção – aspetos a confirmar fisicamente:

  • A planta das instalações e o plano de resposta a emergências estão atualizados e são partilhados com as autoridades locais, nos casos aplicáveis
  • Verificar todas as áreas relevantes em que os produtos químicos são usados e armazenados, incluindo: armazém, áreas de armazenamento temporário, laboratório interno, áreas de mistura para receitas químicas, oficina/zona de produção, ETE.
  • Os produtos químicos estão devidamente rotulados (rotulagem original, sem rótulos manuscritos) e adequadamente segregados, armazenados longe do chão, etc.
  • As condições de armazenamento cumprem os requisitos (teto, paredes, pavimentos, critérios de segregação cumpridos com base na classe de perigo, risco, compatibilidade, estados (sólido/líquido), condições de armazenamento por exemplo, condições especiais de armazenamento como temperatura, humidade, acessórios à prova de explosão
  • Autorização de acessos e sinalização de avisos de perigo
  • As FISPQ/FDS redigidas num idioma compreendido pelos trabalhadores estão facilmente acessíveis, atualizadas, e devidamente traduzidas; verificar se a sinalização é claramente visível e corresponde aos produtos químicos armazenados e às FISPQ/FDS – verificar pelo menos 5 em cada localização
  • A contenção secundária está disponível e é adequada
  • Verificar as áreas de armazenamento e contenção de resíduos perigosos e de lodos
  • Verifique a limpeza geral e a organização / categorização de produtos químicos, integridade dos recipientes de produtos químicos, por exemplo tanque ou tambor, etc., datas de validade dos produtos químicos
  • Os contentores não estão modificados para facilitar a distribuição dos produtos químicos
  • Os contentores estão adequadamente fechados com tampa
  • Todos os equipamentos e acessórios de pesagem (a poeira está sendo criada durante os procedimentos de manuseamento e pesagem?)
  • Verificar conchas e baldes, ou seja, se incluem o nome do produto para que são usados
  • Verificar a utilização, disponibilidade e registo de manutenção dos EPI nos casos aplicáveis
  • Peça uma demonstração para, pelo menos, 3 produtos químicos diferentes, e verifique se cada produto químico possui o seu acessório próprio para manuseamento e pesagem, rotulado com o nome do produto para o qual é usado. Durante essa demonstração, o verificador deve confirmar se os vários produtos químicos de uma mistura são pesados de forma independente.
  • Tire fotografias das áreas de armazenamento
  • Registo de inspeções periódicas

Selecione todos os tópicos incluídos na sua formação: MRSL; RSL

Por favor, descreva as formações sobre RSL e MRSL realizadas no último ano 

Quantos empregados receberam formação?

Se sim, com que frequência dá formação aos seus funcionários?

Carregamento sugerido: Registo(s) de formação sobre as listas MRSL/RSL com nomes, data, tópicos das formações, descrição breve da formação efetuada.

As formações sobre as MRSL e RSL devem ser conduzidas por um funcionário experiente e acompanhadas de documentação que demonstre quem, quando, onde e como receberam formação sobre MRSL e RSL.

Será solicitada documentação adicional durante a verificação: Descrições de função.

Selecione Sim Parcial se a formação tiver sido ministrada, mas ainda não estiver bem documentada.

Indicador-Chave de Desempenho Operacional: Formação de Funcionários e Comunicação

Qual é a intenção desta pergunta?

Antes de começarmos a exigir conformidade com o RSL, o MRSL, devemos primeiro apresentar o tópico e o raciocínio aos trabalhadores, para que um programa possa ser efetivamente implementado. A instalação deve realizar formações para garantir que o pessoal responsável pela conformidade com a MRSL / RSL seja competente por meio de educação, formação e/ou experiência adequados.

Todas as instalações devem proibir a utilização de produtos químicos perigosos não conformes devido a legislações, regulamentos ou requisitos dos clientes (tais como as RSL de Produção (MRSL) da ZDHC). Porém, antes de avançarmos para a conformidade obrigatória com produtos químicos banidos, devemos primeiro educar apresentando este tópico e este raciocínio aos trabalhadores, para que possamos implementar um programa de forma eficaz.

Os produtos químicos e o seu manuseamento são componentes essenciais da gestão de produtos químicos e da segurança no local de trabalho. As MRSL / RSL representam apenas um aspeto de um processo completo de gestão de produtos químicos, e para a sua aplicação adequada à função, e para conhecer as suas potenciais propriedades perigosas para o trabalhador e no local de trabalho.

Orientações Técnicas:

A formação de MRSL / RSL em gestão de produtos químicos deve abranger a(s) possível(is) fonte(s) de produtos químicos perigosos na instalação com uma análise completa dos riscos do inventário completo de produtos químicos e do stock disponível. As instalações devem estar em posição de realizar análises às Causas Raízes, caso seja detetada qualquer não conformidade

Onde encontrar mais informações:

https://mrsl.roadmaptozero.com/MRSL2_0

http://afirm-group.com/afirm-rsl/

https://www.aafaglobal.org/AAFA/Solutions_Pages/Restricted_Substance_List

De que modo isto será verificado:

Instalações que utilizem produtos químicos nos processos produtivos:

Sim

  • Existe uma pessoa designada responsável pela gestão de produtos químicos, conformidade com a MRSL e RSL, identificada pela descrição formal do trabalho, incluindo mas não se limitando a: compras, linha de produção e gerentes técnicos.
  • Existe um sistema formal de formação que documenta para quem, quando, onde e como decorreu a formação sobre as listas MRSL e RSL
  • A(s) pessoa(s) nomeada(s) como responsável(is) pela gestão de produtos químicos conhece(m) a MRSL e RSL (através de entrevista)

Sim Parcialmente

  • Cenário 1:
    • Existe uma pessoa designada responsável pela gestão de produtos químicos, conformidade com a MRSL e RSL, identificada pela descrição formal do trabalho, incluindo mas não se limitando a: compras, linha de produção e gerentes técnicos.
    • A formação sobre MRSL e RSL foi ministrada, mas não foi devidamente documentada.
  • Cenário 2:
    • Existe(m) uma(várias) pessoa(s) responsável(is) pela gestão de produtos químicos identificada(s) por uma descrição formal de funções, que pode incluir, entre outros: diretores de compras, da linha de produção, e técnicos.
    • Foi ministrada formação, e esta encontra-se bem documentada, mas a(s) pessoa(s) responsável(is) ainda não conhecem devidamente as MRSL e RSL.

Documentação necessária:

  • Descrições de cargos
  • Registo(s) de formação com nomes, datas, tópicos da formação, e breve descrição do conteúdo da formação
  • Entrevista / diálogo com a gestão ou com funcionários-chave (incluindo, entre outros, diretores de compras, da linha de produção, e técnicos):
    • Verificar a compreensão da pessoa responsável
    • Diferença entre MRSL e RSL
    • Exemplos de alguns (mínimo de 5) parâmetros da MRSL
    • Limites diferentes nas MRSL para determinados parâmetros (escolha aleatória): o que significam e como devem ser geridos
    • Qual é a principal substância restrita derivada dos corantes. (apenas para instalações de estampagem/tinturaria)
    • Onde podem encontrar informações relativas à conformidade com as listas MRSL e RSL
    • Conseguem apresentar um exemplo de um cartão de receita relacionado com a ficha técnica para a devida utilização
    • Conhecimento do documento MRSL e de como funciona, e compreensão das consequências da utilização de produtos incluídos na lista

Inspeção – aspetos a confirmar fisicamente:

  • Rever materiais e registos de formações
  • Revisão da descrição de cargo
  • Realizar entrevistas com todas as pessoas indicadas.
  • Garantir que os gerentes de compras, linha de produção e técnicos sejam treinados.

A sua instalação possui um processo de resolução de falha que é seguido no caso de uma falha de teste RSL?

(Nota: não é necessário carregar todos, mas precisam de estar disponíveis para revisão durante a verificação) O carregamento sugerido pode incluir alguns dos seguintes documentos para demonstrar a prática: a) Folhas de Dados Técnicos/especificações (FDT) para todos os produtos químicos; b) Receitas para processos onde são usados produtos químicos; c) Lista de materiais adquiridos com Carta de Conformidade em relação à RSL para todos os produtos químicos e orientação de fornecedores de produtos químicos sobre limites seguros de utilização; d) procedimento documentado para identificar, monitorizar e verificar sistematicamente o cumprimento de todas as listas de substâncias restritas (RSL)

As instalações devem adotar uma norma da indústria (AFIRM, AAFA, ou RSL de clientes principais) nas suas práticas empresariais. Por favor, responda Sim se conseguir confirmar a conformidade com a RSL, apresentando evidências do seu processo de análise da RSL e fichas de dados técnicos, inventários que cumpram os requisitos da RSL, e apresentando Cartas de Conformidade com a RSL e/ou resultados de análises aos produtos.

Responda Sim Parcial se conseguir comprovar a conformidade com a RSL, mas ainda não existir um processo de análise interna para monitorizar sistematicamente a RSL

Indicador-Chave de Desempenho Operacional: Políticas de Gestão, Procedimentos de Conformidade e Compromissos relativos a Produtos Químicos

Qual é a intenção desta pergunta?

Espera-se que as instalações adotem uma norma da indústria, como AFIRM, AAFA, ou RSL de clientes principais, nas suas práticas empresariais. Quando são usados produtos químicos num processo, eles devem cumprir os requisitos da Ficha de Dados Técnicos (FDT) necessários para alcançar o resultado desejado da RSL. O processo das RSL deve ser formalmente documentado por escrito e atualizado com periodicidade anual.

A conformidade com a RSL é importante para garantir que o produto criado protege a saúde e segurança dos clientes,  além de cumprir os regulamentos relevantes sobre produtos químicos em todas as jurisdições em que os produtos são criados ou vendidos. Os produtos químicos em conformidade com as MRSL devem ser usados de acordo com as instruções das especificações técnicas, para garantir a conformidade relevante com as RSL.

Orientações Técnicas:

Deverá estar presente nas instalações um documento completo que contenha a avaliação de risco para RSL e MRSL, e que seja desenvolvido a partir do inventário de produtos químicos e das FISPQ, juntamente com os documentos fornecidos pelos fornecedores de produtos químicos, como Fichas de Dados Técnicos, Certificados de Análise, Certificados de Conformidade, Relatórios de Análise, etc. O documento da avaliação de risco deverá identificar os componentes presentes na composição da formulação química e os seus níveis de concentração, quaisquer componentes acidentais presentes devidos ao processamento ou à origem de produtos químicos, e ainda avaliar os riscos possíveis decorrentes do processo produtivo ou do tratamento dos efluentes, etc.

As listas de referências para RSL e MRSL incluem:

  • REACH SVHC Nível 1
  • RoHS
  • Prop 65
  • ZDHC prioridade 11
  • AFIRM
  • AAFA
  • Lista de Substâncias do Sistema BLUESIGN®
  • Oeko Tex 100
  • MRSL da ZDHC (versão mais atualizada)

Outras referências:

  • Enquadramento do Sistema de Gestão de Produtos Químicos da ZDHC – Versão 1.0 (maio de 2020) – Capítulo 3, 5 e 8
  • Documentos com orientações técnicas para o produto, provenientes do fornecedor de produtos químicos

De que modo isto será verificado:

Instalações que utilizem produtos químicos nos processos produtivos:

Sim

  • As instalações ou a sua casa-mãe/grupo corporativo podem providenciar um documento escrito especificando um processo de análise que monitorize, atualize e demonstre a conformidade com uma RSL.
  • As receitas de processos devem considerar a utilização de produtos químicos de acordo com cada Ficha de Dados Técnicos (FDT), para garantir a conformidade com as RSL, ou seja, que os produtos químicos na receita do processo não devem exceder as concentrações sugeridas pelo fabricante de produtos químicos.
  • Todos os produtos químicos no Inventário de Produtos Químicos são verificados quanto à conformidade com as RSL pelo menos anualmente.
  • A instalação ou a sua casa-mãe/grupo corporativo podem fornecer Cartas de conformidade com a RSL apoiadas com resultados de testes/análises para todos os produtos químicos relevantes.
  • A RSL foi formalmente comunicada aos fornecedores, ou seja, aos fornecedores de produtos químicos, aos fornecedores de matérias-primas e aos subcontratados de processos (por exemplo, lavagem, acabamento, estampagem)
  • Procedimento ou processo para verificar se os produtos cumprem as RSL, como análises de acordo com os requisitos do cliente, ou ter um programa para testar os produtos segundo a avaliação de risco própria das fábricas (a atenção deve centrar-se no procedimento e no processo)
  • A instalação ou a sua casa-mãe/grupo corporativo devem garantir que todas as matérias-primas (fios, tecidos, etc.) estejam em conformidade com as MRSL / RSL.

Sim Parcialmente

  • As receitas de processos devem considerar a utilização de produtos químicos de acordo com cada Ficha de Dados Técnicos (FDT), para garantir a conformidade com as RSL, ou seja, que os produtos químicos na receita do processo não devem exceder as concentrações sugeridas pelo fabricante de produtos químicos.
  • A instalação ou a sua casa-mãe/grupo corporativo podem fornecer Cartas de conformidade da RSL apoiadas pelos resultados de testes/análises para todos os produtos químicos relevantes.
  • As instalações ou a sua casa-mãe/grupo corporativo dispõem de procedimentos relacionados com a utilização da RSL dos seus clientes nas suas compras de produtos químicos e operações, mas não dispõem de um documento escrito que defina um processo global de revisão para a monitorização, atualização e demonstração da conformidade com uma RSL.

Documentação necessária:

  • Fichas de Dados/Especificações Técnicas (FDT) para todos os produtos químicos.
  • Receitas para os processos onde são usados produtos químicos.
  • Lista de materiais adquiridos, com Carta de Conformidade com a RSL para todos os produtos químicos.
  • Inventário de produtos químicos – verificar se todos os produtos químicos estão incluídos e verificados quanto à conformidade com a RSL pelo menos anualmente, de acordo com as datas da verificação anterior.

Perguntas a efetuar na entrevista:

  • Os entrevistados demonstram conhecimentos básicos sobre a RSL e sobre como efetuar uma verificação de conformidade em função das respetivas Fichas de Dados Técnicos (FDT), com ligação aos cartões da receita.
  • Perguntar aos funcionários relevantes (por exemplo, diretor do laboratório, diretor de produção, diretor de Saúde, Segurança e Meio Ambiente, compras, etc.) de que modo as instalações monitorizam as RSL dos vários clientes e as atualizações de RSL, e de que modo as RSL são comunicadas e interiorizadas. Verificar o alinhamento da compreensão entre as partes interessadas internas nas várias funções.

Inspeção – aspetos a confirmar fisicamente:

  • Verificar as RSL com que as instalações trabalham, o modo como as instalações monitorizam as RSL e as suas atualizações, e o modo como as RSL são comunicadas e interiorizadas.
  • Disponibilidade de Fichas de Dados Técnicos (FDT) para todos os produtos químicos relevantes nas áreas adequadas por exemplo, laboratório, mistura de produtos químicos.
  • Comunicação formal com os fornecedores relativo a RSL, ou seja, com os fornecedores de produtos químicos, fornecedores de matérias-primas, subcontratados de processo (por exemplo, lavagem, acabamento, estampagem)
  • Disponibilidade de carta de conformidade com RSL sustentada em resultados de testes/análises para os produtos químicos relevantes
  • Observação visual dos processos de trabalho para determinação da composição química nas receitas e/ou materiais; o processo deve integrar a referência à Ficha de Dados Técnicos (FDT) para assegurar a conformidade com a RSL. As receitas de produtos químicos como corantes e pigmentos não deverão exceder as concentrações sugeridas pelos fabricantes de produtos químicos, e referir a utilização/processos pretendidos e quaisquer combinações específicas que devam ser evitadas.
  • Processo de verificação, com periodicidade mínima anual, para atualização da verificação de conformidade com RSL relativamente a todos os produtos químicos do Inventário de Produtos Químicos.

Onde encontrar mais informações:

RSL da AAFA  https://www.aafaglobal.org/AAFA/Solutions_Pages/Restricted_Substance_List

As suas instalações exigem que os seus fornecedores de produtos químicos façam o mesmo?

As suas instalações exigem que os seus subcontratados de lavagem e estampagem façam o mesmo?

Por favor, descreva estes processos

(Nota: nem todos precisam ser carregados, mas precisam de estar disponíveis para revisão durante a verificação) O carregamento sugerido pode incluir alguns dos seguintes documentos para demonstrar a prática: a) Inventário de produtos químicos (ignorar se tiver sido carregado anteriormente); b) Política de revisão química e fluxo do processo; c) Lista de produtos químicos que não possuem documentação completa em conformidade com a MRSL; d) Plano para obter a documentação apropriada para produtos químicos que atualmente não contêm documentação e) As MRSL aplicáveis ​​à instalação, por exemplo, a própria MRSL, a MRSL dos clientes ou a MRSL da ZDHC; f) Listas positivas de fornecedores de produtos químicos (ignorar se tiverem sido carregadas anteriormente); g) Comunicação por e-mail ou encadeamento de comunicações entre as instalações e os seus fornecedores e subcontratados de produtos químicos (se os houver) em relação ao cumprimento da MRSL; h) Carta de conformidade para com a MRSL, com o nome químico, data de emissão e relatórios de testes; i) Processo de triagem periódica documentado em relação ao portal da ZDHC – Módulo Químico (quando aplicável, o ZDHC Performance InCheck) e o Nível de Conformidade de cada produto químico analisado. Registos datados de triagens anteriores e programação das triagens futuras.

As instalações devem integrar uma MRSL nas suas atividades empresariais.  A criação de um programa eficaz de MRSL é um processo complexo, e podem decorrer vários anos até estar completamente implementado na sua fábrica.

Indicador-Chave de Desempenho Operacional: Políticas de Gestão, Procedimentos de Conformidade e Compromissos relativos a Produtos Químicos

Qual é a intenção desta pergunta?

O comportamento pretendido para esta pergunta envolve que as instalações compreendam a MRSL, que devem ser usadas para sustentar a conformidade das compras e do inventário de produtos químicos nas instalações, e dos seus terceiros e subcontratados. O processo deve ser formalmente documentado por escrito e atualizado com periodicidade anual. Um exemplo de uma MRSL fortemente apoiada pela indústria é a MRSL da ZDHC, sobre a qual pode consultar mais informações aqui: https://mrsl.roadmaptozero.com/MRSL2_0

Normalmente, as instalações conhecem as Listas de Substâncias Restritas (RSL); contudo, o setor evoluiu recentemente para a utilização de Listas de Substâncias Restritas na Indústria (MRSL) para promover a utilização de produtos químicos amigos do ambiente, adicionalmente às Listas de Substâncias Restritas. A MRSL é importante, porque as instalações que usem produtos químicos que estejam em conformidade com a lista, e de acordo com as instruções das especificações técnicas, terão melhores resultados ambientais nas suas várias descargas e uma conformidade mais consistente de materiais relativamente à RSL. Este objetivo tem importância para a cadeia de fornecimento das instalações (terceiros, subcontratados, fornecedores, etc.).

Orientações Técnicas:

A MRSL ZDHC (última versão) é a norma global e reconhecida de MRSL na indústria do vestuário, calçado e têxtil, para os fornecedores de produtos químicos e para as principais marcas de revendedores A MRSL deve ser comunicada a montante e a jusante na cadeia de fornecimento.

Para todos os produtos considerados em conformidade com a MRSL, deve haver um processo apropriado para validar a MRSL presente na instalação.

O processo de contratação dos prestadores de serviços deve envolver a seleção, avaliação e gestão dos prestadores de serviços, o que inclui essencialmente os mesmos processos que a instalação está a seguir, a fim de cumprir todas as normas MRSL e práticas de gestão química. Assim, a comunicação, avaliação do desempenho em relação às práticas de gestão química é da responsabilidade da instalação em relação aos prestadores de serviços.

https://uploads-ssl.webflow.com/5c4065f2d6b53e08a1b03de7/5ec4fce8cc2b044b520491d5_ZDHC%20CMS%20Framework_MAY2020.pdf

Glossário:

MRSL da ZDHC: a MRSL da ZDHC é uma lista de substâncias químicas sujeitas a uma proibição de uso (ver Proibição de Uso, página 2). A MRSL aplica-se aos produtos químicos usados em instalações que processam materiais e peças para acabamento usadas no vestuário e no calçado. Os produtos químicos da MRSL da ZDHC incluem diluentes, produtos de limpeza, adesivos, pinturas, tintas, detergentes, pigmentos, corantes, auxiliares, revestimentos e agentes de acabamento usados durante a produção de matérias-primas, no processamento húmido, na manutenção, no tratamento de efluentes, na higienização e no controlo de pragas. Fonte: https://www.roadmaptozero.com/

De que modo isto será verificado:

Instalações que utilizem produtos químicos nos processos produtivos:

Sim

  • A instalação ou a sua casa-mãe/grupo corporativo pode demonstrar um processo de revisão química bem documentado (escrito) que monitoriza, atualiza e mostra a conformidade com as legislações, requisitos da MRSL do cliente ou a MRSL da ZDHC, como uma norma para a instalação, subcontratados e contratados.
  • O processo de análise dos produtos químicos relativamente à MRSL encontra-se devidamente alinhado e é gerido por várias funções nas instalações (equipas de gestão, compras, laboratório e produção) e por intervenientes externos (subcontratados, fornecedores, organismo de análises, etc.) e as responsabilidades estão devidamente atribuídas
  • O processo também deve demonstrar o modo como os produtos químicos são analisados/verificados relativamente à MRSL antes da compra.
  • Os processos/métodos de revisão química são robustos, ou seja, há triagem periódica através do Portal da ZDHC – Módulo de Produtos Químico (com o ZDHC Performance InCheck quando possível), certificação/Carta de Conformidade para a MRSL específica de cada produto químico com dados de teste/relatório para apoiar a alegação, ou adoção de sistemas que garantem a conformidade com a MRSL, por exemplo, Bluesign, etc. Quando produtos químicos não conformes são encontrados, um plano de eliminação gradual é desenvolvido. Sempre que o Portal da ZDHC – Módulo de Produtos Químicos for usado para a triagem, as instalações registam e monitorizam o Nível de Conformidade de cada produto químico triado.
  • As instalações ou a sua casa-mãe/grupo corporativo comunicam de forma ativa, aos seus fornecedores de pigmentos e de produtos químicos que as formulações fornecidas às instalações precisam de estar em conformidade com a MRSL
  • A instalação ou a sua casa-mãe/grupo corporativo pode demonstrar que a expectativa de conformidade com a MRSL é ativamente comunicada à cadeia de fornecimento a montante e monitorizada, pelo menos, anualmente, incluindo unidades de processamento subcontratadas, ou seja, lavagem, impressão (se aplicável).
  • A instalação ou a sua casa-mãe/grupo corporativo  solicita e monitorizam ativamente a conformidade dos seus fornecedores com a MRSL e a analisa-os em função da Lista de Inventário Químico (CIL).

Sim Parcialmente

  • As instalações ou a sua casa-mãe/grupo corporativo monitorizam as políticas relativas a produtos químicos de uso proibido com base na legislação, nos regulamentos ou nos requisitos dos clientes aplicáveis às instalações
  • A instalação ou a sua casa-mãe/grupo corporativo é capaz de fornecer uma Carta de Conformidade com a MRSL, com dados de teste/relatório para apoiar a reclamação, para cada produto químico de fabricação e ferramentas/equipamento que é atualizado anualmente, mas não tem um processo de análise formal (documentado/escrito) para produtos químicos.
  • As instalações ou a sua casa-mãe/grupo corporativo têm um processo formal para análise de produtos químicos, mas esse processo não está bem implementado e não está devidamente alinhado nas várias funções das instalações
  • A instalação ou a sua casa-mãe/grupo empresarial possui um processo formal de revisão química, mas não é robusto, por exemplo Cartas de conformidade contendo apenas uma carta de declaração/declaração sem nenhum relatório/dados de teste para apoiar as reivindicações, ou o Portal ZDHC Módulo de Produtos Químicos é usado para monitorizar produtos químicos, mas o nível de conformidade não é monitorizado ou não há um plano de eliminação gradual para os produtos químicos não conformes encontrados.
  • A instalação ou a sua casa-mãe/grupo corporativo comunica as expectativas de conformidade com a MRSL aos fornecedores de corantes e produtos químicos, mas não às unidades de processamento subcontratadas (se aplicável)
  • A instalação ou a sua casa-mãe/grupo corporativo pode demonstrar que a expectativa de conformidade com a MRSL é comunicada à cadeia de fornecimento a montante, incluindo unidades de processamento subcontratadas, isto é, lavagem, impressão, mas não monitorizadas, pelo menos, numa base anual (se aplicável).

Documentação necessária:

Referenciar a aplicabilidade com as secções para os requisitos do sim e do sim parcial.

  • Chemical Inventory List (CIL) (Lista de Inventário de Produtos Químicos)
  • Política e fluxograma para análise de produtos químicos
  • Lista de produtos químicos não-conformes
  • Plano de descontinuação para produtos químicos não-conformes, se for o caso
  • MRSL aplicáveis às instalações, por exemplo, MRSL próprias, MRSL de clientes ou MRSL ZDHC
  • Ferramentas ZDHC para verificações MRSL (Relatórios InCheck, ChemCheck)
  • Listas positivas dos fornecedores de produtos químicos
  • Comunicações por e-mail ou registo de comunicações entre as instalações e os seus fornecedores de produtos químicos e subcontratados (se existirem), relativas à conformidade com MRSL
  • Carta de conformidade com a MRSL com o nome do produto químico, data de emissão e relatórios de análise
  • Processo de monitorização periódica e documentada relativamente ao Portal da ZDHC – Módulo de Produtos Químicos (se aplicável) e ao Nível de Conformidade de cada produto químico monitorizado. Registos datados de triagens anteriores e programação das triagens futuras.

Perguntas a efetuar na entrevista:

  • Os entrevistados demonstram conhecimentos básicos sobre a MRSL e o modo como realizar uma verificação de conformidade ou obter Cartas de Conformidade quando adequado.
  • Compreendem as consequências da utilização de produtos que não estejam incluídos na MRSL?

Inspeção – aspetos a confirmar fisicamente:

  • Uma verificação visual de vários processos de trabalho para uso de produtos químicos ou materiais na lista de inventário fornecida.
  • Verifique o processo de revisão de produtos químicos para determinar se a revisão e / ou a carta de conformidade da MRSL são robustas e executadas periodicamente (pelo menos anualmente) e são consistentes com a lista de compras e o inventário de produtos químicos.

Carregamentos sugeridos: a) Receitas, fichas de formulação química, e instruções dos processos (nos casos aplicáveis), contendo todas as informações monitorizáveis (por exemplo, o nome do produto químico e a quantidade disponível); b) Inventário de produtos químicos (ignorar no caso de já ter sido carregado); c) Registo do processo de mistura de produtos químicos, registos laboratoriais (por exemplo, laboratório de coloração, laboratório de lavagem, etc.)

A capacidade de monitorização dos produtos químicos é necessária, para que a instalação consiga determinar a origem de uma falha de RSL e/ou MRSL e tomar ações.

Referência: Enquadramento do Sistema de Gestão de Produtos Químicos da ZDHC – Versão 1 (maio de 2020) – Capítulo 1, 5 e 8

Responda Sim apenas se as suas instalações conseguirem monitorizar todos os produtos químicos das receitas de produção até ao inventário de produtos químicos.

Responda Sim Parcial se apenas alguns dos produtos químicos nas receitas de produção puderem ser monitorizados até ao inventário de produtos químicos

Indicador-Chave de Desempenho Operacional: Qualidade / Integridade do Produto

Qual é a intenção desta pergunta?

O objetivo da capacidade de monitorização é determinar se os componentes químicos envolvidos na produção podem ser monitorizados “para trás” (escolhendo um produto acabado, se é possível monitorizar os componentes químicos usados para produzir esse produto acabado específico) e “para a frente “(escolhendo um produto químico, se é possível identificar todos os produtos acabados específicos que são produzidos usando esse produto químico específico)

A capacidade de fazer isto apoiaria as investigações de causas raízes, caso aconteçam quaisquer questões relacionadas com a qualidade ou a conformidade devidas a um determinado produto químico

Se for necessário recolher um determinado produto, será possível recolher o produto químico específico que está envolvido

No Nível 1, as instalações devem conseguir monitorizar os produtos químicos usados em cada processo industrial até o inventário de produtos químicos. Por outras palavras, a instalação deve monitorizar: (1) os produtos químicos disponíveis no local (inventariados); (2) as folhas de receita de produção, onde cada produto químico usado em cada etapa da produção que envolve produtos químicos está listado. Estas demonstrarão que sabe como e onde os produtos químicos são usados nas operações das suas instalações (em que processos), e que esses produtos químicos estão devidamente documentados e são monitorizados nas instalações.

A capacidade de monitorização dos produtos químicos é necessária para registar os produtos químicos que são usados e o momento da sua utilização, para que as instalações consigam determinar a origem de uma falha numa RSL (para Produtos) e/ou MRSL (para produtos químicos usados na produção) e tomar medidas. A capacidade das suas instalações em monitorizar os produtos químicos usados e em monitorizar os produtos químicos através de todos os processos nas instalações, pode começar apenas com a boa coordenação da documentação existente e atualmente usada para a produção, e em última análise progredir para uma monitorização mais avançada e detalhada ao longo do tempo.

O foco desta pergunta é ter registos documentados dos processos de fabricação, receitas de produção, formulações químicas e quantidades (quantidade) usadas para fabricar um produto. Estes registos devem demonstrar a relação entre as informações existentes no inventário de produtos químicos das instalações (ou seja, a denominação comercial do produto químico/formulação, o número do lote, e a conformidade com MRSL e RSL), e cada produto químico que é realmente usado em cada fase de processamento até à produção final.

Orientações Técnicas:

Uma receita é: um registo das formulações químicas usadas para fazer o produto ou material, e das suas quantidades/composição (por exemplo, todas as formulações usadas na produção de uma t-shirt azul)

Uma formulação é: um produto químico que se adquire junto de um fornecedor de produtos químicos (por exemplo, um corante para uma t-shirt azul).

Uma substância é: os produtos químicos individuais que compõem essa formulação (por exemplo, o pigmento e os 3 agentes aglutinantes contidos nesse corante).

Formulações químicas ou “produtos químicos”: o produto químico individual, ou “ingredientes”, referidos nas Receitas de Produção, e usados nos processos produtivos para criar um produto final/material nas Instalações. Estes produtos químicos também precisam de ser incluídos no Inventário de Produtos Químicos das instalações. Podem existir formulações complexas, corantes, auxiliares, produtos para acabamento, etc., fornecidas por fornecedores de produtos químicos e que sejam constituídas por uma ou mais substâncias químicas. Isto é importante que seja clarificado, já que as fábricas de têxteis adquirem “formulações químicas” que podem não ter detalhes sobre qual é a natureza das substâncias químicas individuais.

Receita de Produção ou “receita”: a ficha de prescrição que documenta os produtos químicos e as condições de processo a serem usadas para fazer Produtos/Materiais. Deve ser mantido um registo dos produtos químicos realmente usados, e das condições processuais, para todos os processos e Produtos/Materiais produzidos. Os detalhes das “necessidades de formulações químicas” e os passos/parâmetros de processamento necessários ao cumprimento das especificações do material/produto devem ser monitorizados. É necessária uma receita de produção documentada para assegurar a consistência da reprodutibilidade de lote para lote.

Inventário de Produtos Químicos: um inventário químico de “formulação” precisa de ser mantido à mão e reabastecido para “corresponder” às necessidades da receita. Quaisquer alterações à receita devem ser assinaladas e reconciliadas com uma atualização dos requisitos do inventário. Da mesma forma, quaisquer substituição no inventário deve ser aprovada para utilização no cumprimento aos requisitos da receita. Quaisquer alterações à receita e/ou ao inventário devem ser assinaladas e comunicadas às Equipas de Produção e de GQ, para garantir que as especificações finais do produto comercial continuam a ser cumpridas.

Instruções de processo – todos os processos nas instalações devem possuir documentação que descreva as condições e os controlos operacionais requeridos para a produção de Produtos/Materiais; deve ser mantido um registo das condições processuais reais para todos os Produtos/Materiais fabricados nas instalações

De que modo isto será verificado:

Instalações que utilizem produtos químicos nos processos produtivos:

Sim

  • Todos os processos por que um produto passou e que envolvam a utilização de produtos químicos estão identificados, e os cartões de receita e de lote correspondentes a cada processo estão disponíveis e são mantidos.
  • Onde quer que produtos químicos sejam usados, há instruções escritas para o seu uso adequado, incluindo cartões de receita, instruções de processo (quando aplicável), folhas de formulação, contendo todas as informações monitorizáveis, como nome químico, número do lote e quantidade, que podem ser vinculadas de volta ao inventário químico da instalação.
  • São cobertos os principais processos produtivos, e cada produto químico usado, bem como as respetivas quantidades, e a instrução de processo está disponível, incluindo os parâmetros de controlo e os pontos de verificação.
  • Sempre que ocorra internamente uma mistura/combinação de produtos químicos, esse processo deve ser documentado.
  • Os produtos químicos listados em cada receita de produção e em cada etapa de fabricação podem ser monitorizados de forma consistente em registos relevantes, incluindo o registo do processo de mistura de produtos químicos, registos de laboratório (por exemplo, laboratório de cores, laboratório de lavagem) quando aplicável, e as informações químicas também são registadas no inventário de produtos químicos, ou seja produto químico / nome da formulação, número do lote, conformidade com a MRSL e RSL etc. (consulte o Enquadramento do CIL e do CMS da ZDHC Versão 1.0 – Capítulo 5 para conhecer as expectativas relacionadas com o inventário de produtos químicos).

Sim Parcialmente

  • Todos os processos por que um produto passou e que envolvam a utilização de produtos químicos estão identificados, e os cartões de receita e de lote correspondentes a cada processo estão disponíveis e são mantidos.
  • Cenário 1: Sempre que são usados produtos químicos, existem instruções escritas para a sua utilização correta que incluem cartões de receita, instruções de processo (nos casos aplicáveis), e fichas de formulação, e que contenham todas as informações monitorizáveis, ou seja, nome do produto químico, número de lote, e quantidade, que possam ser relacionados com o inventário de produtos químicos das instalações. As informações contidas no inventário de produtos químicos estão incompletas ou o inventário de produtos químicos não está atualizado (consulte a Lista de Inventário Químico da  ZDHC e o Enquadramento do CMS da ZDHC, versão 1.0 – Capítulo 5 quanto às expectativas relacionadas com o inventário de produtos químicos).
  • Cenário 2: Apenas uma parte (não a totalidade) dos processos/etapas de produção que usam produtos químicos possuem instruções escritas para a sua utilização correta que incluem cartões de prescrição, instruções de processo (nos casos aplicáveis) e fichas de formulação, e contêm todas as informações monitorizáveis, ou seja, nome do produto químico, número de lote e quantidade, e podem ser relacionados com o inventário de produtos químicos das instalações.

Documentação necessária:

  • Cartões de receita, fichas de formulação química, instruções de processo (nos casos aplicáveis) que contenham todas as informações monitorizáveis, ou seja, nome do produto químico, quantidade disponível e número de lote
  • Inventário Químico (consulte a Lista de Inventário Químico da ZDHC e o Enquadramento do CMS da ZDHC, versão 1.0 – Capítulo 5 quanto às expectativas relacionadas com o inventário de produtos químicos)
  • Registo do processo de mistura de produtos químicos, registos laboratoriais (por exemplo, laboratório de coloração, laboratório de lavagem, etc.)

Perguntas a efetuar na entrevista:

  • Os gerentes/trabalhadores conseguem apresentar um sistema documentado, monitorizável e identificável relativamente a um inventário em conformidade com uma MRSL
  • Os trabalhadores compreendem e conhecem os conteúdos importantes de uma receita de processo, especialmente nos casos da lavagem, estampagem ou acabamento, se for o caso

Inspeção – aspetos a confirmar fisicamente:

  • Realize uma verificação aleatória a 1 ou 2 produtos atualmente na linha de produção do local, e descubra os processos por que o produto passou e que envolvam a utilização de produtos químicos, por exemplo, tinturaria, estampagem, lavagem, acabamento, etc. Verifique os cartões de receita e de lote de produção  correspondentes a cada processo identificado.
  • Selecione aleatoriamente 3 ou 4 produtos químicos nos cartões de receita/lote identificados em cada processo para os monitorizar até à área de mistura de produtos químicos (“cozinha”), ao laboratório químico (nos casos aplicáveis), e às áreas de armazenamento de produtos químicos (temporárias/armazém), e depois até ao inventário de produtos químicos.
  • Confirmar se as relações entre os produtos químicos usados nos processos e o inventário de produtos químicos podem ser estabelecidas, e se estão devidamente documentadas.
  • Análise de registos: registos de processo/produção, ou seja, cartões de receita, fichas de formulações químicas, instruções de processo (nos casos aplicáveis), que contenham todas as informações monitorizáveis, ou seja, nome do produto químico, quantidade e número de lote. Confirmar a consistência das informações do registo do processo de mistura de produtos químicos, e dos registos laboratoriais (por exemplo, laboratório de coloração, laboratório de lavagem, etc.), nos casos aplicáveis. Verifique as informações com o inventário de produtos químicos (consulte a Lista de Inventário Químico da ZDHC e o Enquadamento do CMS da  ZDHC versão 1.0 – Capítulo 5 quanto às expectativas relacionadas com o inventário de produtos químicos).

Gestão de produtos químicos – Nível 2

Questions

Carregamento sugerido: Plano documentado para conseguir o pleno cumprimento dos requisitos de Nível 1. Este plano deve incluir: a) Quais as questões que não foram completamente conseguidas e porquê; b) As pessoas responsáveis, e uma data-limite para garantir os requisitos para estas questões que ainda não tenham sido cumpridos.

Poderão demorar muitos anos até que as instalações concluam todos os requisitos de Nível 1 necessários a um programa sólido para gestão de produtos químicos. Se tiver um plano para alcançar o pleno cumprimento dos requisitos de Nível 1, carregue-o aqui.

Indicador-Chave de Desempenho Operacional: todos

Qual é a intenção desta pergunta?

Considerando que se espera que relativamente poucas instalações cumpram todos os critérios de gestão de produtos químicos de nível 1, o comportamento mais importante que se pretende motivar pelas questões do nível 2 é o desenvolvimento e implementação de um plano para melhoria das práticas existentes de gestão de produtos químicos, destinado a alcançar progressivamente as expectativas mínimas regulamentares e da indústria (Nível 1).

Esta pergunta destina-se a capturar a capacidade das instalações para desenvolver um plano de ação que permita melhorar o sistema de gestão de produtos químicos existente.

Orientações Técnicas:

A base de um programa eficaz de gestão de produtos químicos depende do estabelecimento de políticas e procedimentos para gerir adequadamente os produtos químicos ao longo do seu ciclo de vida. Para cada fase do ciclo de vida, precisam de ser desenvolvidas políticas e procedimentos que definam requisitos legais e outros, as pessoas responsáveis e as práticas de trabalho e de controlos adequados. Programa de gestão de produtos químicos consistente com o compromisso com a melhoria contínua. E de modo a sustentar melhorias contínuas no desempenho geral da gestão de produtos químicos, é extremamente importante trabalhar nas ações/descobertas corretivas por meio da avaliação da gestão interna/externa de produtos químicos.

 

De que modo isto será verificado:

Sim:

Documentação necessária:

  • Existência de plano documentado para conclusão de todos os requisitos para cada questão no nível 1
  • O documento deve incluir as perguntas que não foram respondidas com um sim completo, e porquê
  • O plano documentado deve incluir as pessoas responsáveis e uma data-limite para se conseguir o “sim” completo para as questões ainda não verificadas  

Perguntas a efetuar na entrevista:

  • A gestão e os funcionários-chave estão familiarizados com o plano e conseguem responder por todos os passos para conseguir respostas com sim completo às perguntas de nível 1 na secção de gestão de produtos químicos

Inspeção – aspetos a confirmar fisicamente:

  • Peça às instalações para lhe apresentarem o plano, para garantir que estão implementando as ações necessárias.

Fotografe todos os equipamentos/registos que apoiem o plano de ação

Carregamento sugerido; a) Uma lista de produtos químicos perigosos com um plano de ação contendo responsabilidades atribuídas e um prazo para a ação; b) Ensaios químicos alternativos em laboratório ou documentos piloto da instalação com conclusões para proceder ou declinar.

Ter produtos químicos perigosos não significa que você violou RSL ou MRSL; sua instalação pode ter produtos químicos perigosos permitidos no local, mas que devem ser manuseados adequadamente e eventualmente eliminados.

Indicador-Chave de Desempenho Operacional: Inovações de Produtos Químicos e de Processo

Qual é a intenção desta pergunta?

Remoção dos produtos químicos perigosos, através da definição intencional de um plano de ação com metas, responsabilidades definidas e um calendário para a ação.

Esta questão incentiva as instalações a serem proativas na identificação de perigos e trabalhar para reduzir além do que já é restrito pela MRSL ou RSL. Esta pergunta não requer que as instalações tenham competências internas para realizar avaliações detalhadas de risco. As fábricas podem ter planos de implementação de riscos confiando em listas por meio de orientação. Isto exclui os planos de implementação para tratar de não conformidades contra RSL/MRSL/regulamentação – estes são capturados no Nível 1.

Por exemplo, se uma instalação está atualmente a seguir uma MRSL/RSL específica do setor ou marca, esta instalação também pode pesquisar proativamente para eliminar outras substâncias que estão listadas na lista de candidatas da MRSL da ZDHC ou na SIN LIST etc., e que não estão incluídas na lista que seguem. Eles podem encontrar essas substâncias em outras listas do setor e começar a trabalhar para eliminar gradualmente essas substâncias da produção antes de serem restringidas pelo MRSL / RSL a seguir. Como alternativas a estas substâncias eliminadas gradualmente, as instalações podem procurar produtos químicos identificados nas bases de dados industriais disponíveis, tais como o Portal da ZDHC ou qualquer outra fonte específica da marca.

 

No âmbito: Todos os produtos químicos de produção se concentram nos produtos químicos existentes no produto final no caso de uma operação têxtil (o comportamento mais importante é o impacto sobre o produto – o qual deve caminhar para a utilização de produtos químicos pré-analisados)

Fora do âmbito: Produtos químicos que não estejam focados no produto, tais como, os produtos de limpeza, excluindo os químicos utilizados em torres de arrefecimento/caldeiras.

Orientações Técnicas:

A instalação deve identificar os produtos químicos perigosos que não são considerados na RSL ou MRSL, mas também deve ter em consideração as substâncias químicas que vão além dessas listas. As listas e ferramentas de referência que identificam substâncias perigosas e/ou produtos químicos preocupantes além da MRSL e RSL incluem as seguintes, mas não exclusivamente:

  • Lista de Candidatos da MRSL da ZDHC – https://mrsl.roadmaptozero.com/MRSL2_0
  • Convenção de Estocolmo sobre Poluentes Orgânicos Persistentes
  • Lista ChemSec Sin
  • Lista de Notificação de Produtos Químicos Preocupantes para Crianças (CHCC) do Estado de Washington
  • Plataforma Europeia Subsport (http://Subsport.eu)
  • SVHC (Substância que implica preocupações graves) (https://echa.europa.eu/candidate-list-table)
  • Outras listas relevantes para a atividade das instalações, tais como Bluesign BSSL, GOTS

De que modo isto será verificado:

Instalações que utilizem produtos químicos nos processos produtivos:

Sim

  • O plano de implementação inclui objetivos, metas, plano de ação e medidas tomadas.
  • As instalações identificaram a lista de produtos químicos atualmente utilizados que contém ou podem conter produtos químicos perigosos ou substâncias de MRSL
  • Uma lista de produtos químicos perigosos com um plano de ação com responsabilidades atribuídas e um calendário de execução. O plano de ação deve conter:
    • o nome do produto químico;
    • a substância perigosa que contém;
    • avaliação da exposição que inclua a estimativa da intensidade, frequência, duração e via de exposição a uma substância;
    • as tarefas previstas para descontinuar a utilização desse produto químico e os calendários respetivos;
    • lista de produtos químicos alternativos/substitutos a utilizar;
    • cronograma para a conclusão da descontinuação;
    • procedimento de monitorização para as alternativas e o seu desempenho.

Sim Parcialmente

  • O plano de implementação contém listas de verificação de medidas mas não é sustentado por uma estratégia (objetivos, metas, plano, etc.)
  • Sem lista ativa; existem registos laboratoriais / da produção piloto para ensaios alternativos.

Instalações que usem produtos químicos apenas nas ferramentas e/ou operações das instalações:

Sim

  • O plano de implementação inclui objetivos, metas, plano de ação e medidas tomadas.
  • Uma lista de produtos químicos perigosos com um plano de ação com responsabilidades atribuídas e um calendário de execução.

Sim Parcialmente

  • O plano de implementação contém listas de verificação de medidas mas não é sustentado por uma estratégia (objetivos, metas, plano, etc.)
  • Sem lista ativa; existem registos laboratoriais / da produção piloto para ensaios alternativos.

Documentação necessária:

  • Uma lista de produtos químicos perigosos com um plano de ação com responsabilidades atribuídas e um calendário de execução.
  • Documentos sobre ensaios químicos alternativos em laboratório ou instalações piloto com conclusões relativas à continuação ou recusa.

Perguntas a efetuar na entrevista:

  • Gestão de nível superior, Gestor de SST, Gestor de Produtos Químicos e/ou pessoa(s) responsável(is)

Inspeção – aspetos a confirmar fisicamente:

  • Análise do plano em vigor ou de processo alternativo para avaliação de produtos químicos, ou seja, documentos laboratoriais ou de instalações-piloto

(Nota: não é necessário carregar todos, mas precisam de estar disponíveis para revisão durante a verificação) O carregamento sugerido pode incluir alguns dos seguintes documentos para demonstrar a prática: a) Demonstração do acesso a uma lista positiva (exemplo: licença BLUESIGN® bluefinder); b) Inventário de produtos químicos listando as formulações químicas e o fornecedor de produtos químicos correspondente – produtos químicos provenientes de uma lista positiva devem ser identificados no inventário de produtos químicos (ignorar se já tiver sido carregado anteriormente); c) Documentos de suporte de compra; d) O idioma do contrato de compra para apoiar o abastecimento de produtos químicos de listas positivas; e) Documentação de processo para identificar responsabilidades internas e externas

Responda Sim apenas se mais de 50% das formulações químicas no inventário de produtos químicos (% baseada no número de produtos químicos, e não no volume) forem adquiridas através de uma lista de positivos, como o Portal ZDHC de Produtos Químicos, a BLUESIGN®, a GOTS, e/ou o OEKO-TEX® Eco Passport.

Responda Sim Parcial se tiver produtos químicos provenientes de uma lista positiva e que sejam responsáveis por menos de 50% do seu inventário

Para instalações que não utilizem produtos químicos na produção:

Resposta Sim apenas se mais de 50% das formulações químicas no inventário de produtos químicos (% com base no número de produtos químicos, não no volume) forem provenientes de uma lista positiva, como a MRSL de Nível 3 da ZDHC, BLUESIGN®, GOTS e/ou certificados pela OEKO-TEX® C2C, como produtos químicos permitidos pela triagem Chem iQ, etc.

Responda Sim Parcial se tiver produtos químicos provenientes de uma lista positiva e que sejam responsáveis por menos de 50% do seu inventário.

Indicador-Chave de Desempenho Operacional: Práticas para Seleção e Aquisição de Produtos Químicos

Qual é a intenção desta pergunta?

A intenção desta pergunta consiste em recompensar os fabricantes que procurem proativamente produtos químicos com menos perigos e riscos, para substituição de produtos químicos que representem maior perigo para as pessoas e para o nosso ambiente. Esses programas geralmente vão além das MRSL e RSL, focadas no risco regulamentar.

A substituição de produtos químicos perigosos é uma medida fundamental para a redução dos riscos para o ambiente, os trabalhadores, os consumidores e a saúde pública. Existem vários programas de marcas e outras entidades para identificação de substitutos positivos. A compra de formulações químicas a partir de listas positivas confiáveis é uma abordagem econômica e que garante que os produtos químicos adquiridos não contêm substâncias perigosas. Impulsionar a procura por estes substitutos, e a inovação na química verde como um todo, é um fator importante para a melhoria global do desempenho da sustentabilidade da indústria têxtil e do calçado.

Orientações Técnicas:

É importante salientar que as listas positivas são desenvolvidas através da análise da composição de formulações específicas, para identificar substâncias perigosas. As listas positivas devem considerar a avaliação da composição dos produtos químicos usados na formulação, bem como uma avaliação dos processos para a qualidade existentes nas instalações que produzem estes produtos químicos. O segundo aspeto é fundamental para garantir que a composição da formulação química permanece consistente ao longo do tempo, e que o risco de encontrar impurezas indesejadas é limitado. As informações relativas à composição da mistura de produtos químicos disponíveis nas Fichas de Dados de Segurança não devem ser usadas (apenas) para o desenvolvimento de listas positivas, já que o nível de detalhe disponível nas FDS não identifica normalmente as impurezas ou substâncias adicionadas involuntariamente e que podem ser frequentemente a origem da não conformidade com uma RSL ou uma MRSL.

Algumas listas positivas que devem ser consideradas:

Referências:

  • BLUESIGN® bluefinder (Qualquer produto químico que seja aprovado pelo bluesign® pode ser considerado parte de uma lista positiva – isto inclui tanto o produto químico classificado como azul ou cinzento).
  • MRSL da ZDHC de Nível 3 (com administração de produção)
  • Divulgação de material completo com avaliação de toxicidade
  • MRSL/Lista positiva do fornecedor do cliente para produtos químicos com triagem ChemiQ.
  • Outras, a documentar pelas instalações

Nota: Esta pergunta pode ser usada para informar respostas às Ferramentas do The Sustainability Consortium (TSC) para Têxteis e Vestuário. O Indicador de Desempenho Chave da Gestão de Produtos Químicos Prioritários pede aos respondentes informações prioritárias sobre produtos químicos. Os dados das instalações podem ser agregados por marcas para responder à pergunta do TSC.

Onde encontrar mais informações:

De que modo isto será verificado:

Instalações que utilizem produtos químicos nos processos produtivos:

Sim:

  • Evidências comprovadas de que mais de 50% das formulações químicas no inventário de produtos químicos (% baseada no número de produtos químicos, e não no volume) são adquiridas a partir de uma lista de positivos
  • Compras a partir de lista de produtos químicos preferidos, como o Portal da ZDHC de Produtos Químicos, Bluesign, GOTS, OekoTex, etc.

Sim Parcial

  • As formulações químicas no inventário de produtos químicos que foram adquiridas através de uma lista positiva representam menos de 50% do inventário de produtos químicos (% baseada no número de produtos químicos, e não no volume)

Fábricas que usem produtos químicos apenas nas ferramentas e/ou operações das instalações:

Sim

  • Evidências comprovadas de que mais de 10% das formulações químicas no inventário de produtos químicos (% baseada no número de produtos químicos, e não no volume) são adquiridas a partir de uma lista positivas.

Sim Parcialmente

  • As formulações químicas no inventário de produtos químicos que foram adquiridas através de uma lista positiva representam menos de 10% do inventário de produtos químicos (% baseada no número de produtos químicos, e não no volume)

Documentação necessária:

  • Demonstre o acesso a uma lista positiva (exemplo: licença Bluesign bluefinder)
  • Inventário de produtos químicos que inclua as formulações químicas e o correspondente fornecedor de produtos químicos. Os produtos químicos adquiridos através de uma lista positiva devem estar identificados no inventário de produtos químicos
  • Documentos comprovativos da aquisição
  • Redação do contrato de compra que apoie a aquisição de produtos químicos a partir de listas positivas
  • Documentação do processo para identificação de responsabilidades internas e externas

Perguntas a efetuar na entrevista:

  • Gestão de nível superior, Gestor de Produtos Químicos, Gestor de Compras

Inspeção – aspetos a confirmar fisicamente:

  • Rever a lista e as práticas atuais.
  • Conferir aquisições e recibos aleatórios contra uma lista positiva para uma seleção de produtos químicos (pelo menos 2).

Gestão de produtos químicos – Nível 3

Questions

Selecione o que se aplicar:

  • Todos os produtos químicos usados em processos produtivos
  • Todos os produtos químicos usados em ferramentas/equipamentos (lubrificantes e massas de lubrificação)
  • Todos os produtos químicos usados nas operações e manutenção das instalações

Carregamento: a) Lista priorizada de alternativas para produtos químicos; b) MRSL/RSL, lista de substâncias preocupantes, lista REACH SVHC (ignorar se já tiver sido carregada anteriormente); c) Atas de reuniões de colaboração entre instalações, clientes e fornecedores de produtos químicos em relação a alternativas.

É fundamental que os parceiros da cadeia de valor colaborem em alternativas, de modo a evitar uma substituição errada que resulte numa falha do produto ou numa não conformidade.

Receberá a Pontuação completa se estiver a colaborar em alternativas para todas as categorias de produtos químicos.

Receberá uma Pontuação parcial se só estiver a priorizar alternativas para algumas categorias de produtos químicos.

Indicador-Chave de Desempenho Operacional: Práticas para Seleção e Aquisição de Produtos Químicos

Qual é a intenção desta pergunta?

Colaborar para priorizar uma lista de alternativas. Esta pergunta visa recompensar instalações que estão interagindo com marcas e fornecedores de produtos químicos para identificar alternativas para substâncias preocupantes ou substâncias restritas. É fundamental que os parceiros da cadeia de valor colaborem em alternativas, de modo a evitar uma substituição errada que resulte numa falha do produto ou numa não conformidade.

Para priorizar, análises importantes a serem executadas são: a) critérios de toxicidade eb) avaliação do ciclo de vida – próximas perguntas. O comportamento a ser conduzido aqui é o compromisso de priorizar de forma colaborativa.

A gestão química de substâncias perigosas é um processo complexo e exigente. Quanto maior a colaboração com substâncias importantes, melhor priorização, satisfação do cliente e aprimoramento do setor.

Orientações Técnicas:

A colaboração para o desenvolvimento de alternativas ao uso de produtos químicos, incluindo substâncias perigosas, pode tomar várias formas. Este critério mede a capacidade das instalações de assumirem a responsabilidade pela substituição das substâncias perigosas, potenciando a colaboração.

Referência: Enquadramento do Sistema de Gestão de Produtos Químicos da ZDHC – Versão 1 (maio de 2020) – Capítulo 3

  • Estas perguntas podem ser usadas para informar respostas às Ferramentas do The Sustainability Consortium (TSC) para para Têxteis e Vestuário. O Indicador de Desempenho Chave da Gestão de Produtos Químicos Prioritários pede aos respondentes informações prioritárias sobre produtos químicos. Os dados das instalações podem ser agregados por marcas para responder à pergunta TSC

A ideia pode ser firmemente reforçada, se as instalações se envolverem em colaborações com fornecedores, marcas e institutos de investigação, para descobrirem possíveis soluções para o desenvolvimento de novos produtos, ou para a substituição de produtos químicos tóxicos através do desenvolvimento de aplicações, beneficiando desse modo a sociedade e o setor (por exemplo, aplicação de acabamento DWR, com técnicas de plasma e produtos químicos eficientes do ponto de vista energético, etc.)

De que modo isto será verificado:

Expectativa é produzir a lista prioritária de alternativas para um produto químico.

Instalações que utilizem produtos químicos nos processos produtivos.

Sim

  • A instalação possui um processo de colaboração em relação a alternativas químicas, substâncias de interesse e / ou listas de substâncias restritas. O processo é transparente, está documentado, e inclui o seguinte:
    • Todos os produtos químicos usados em processos produtivos
    • Todos os produtos químicos usados em ferramentas/equipamentos (lubrificantes e massas de lubrificação)
    • Todos os produtos químicos usados nas operações e manutenção das instalações
  • A instalação tem uma lista priorizada de alternativas para um produto químico por meio de um sistema transparente, com base científica, simples e razoável, que avalia químicos e/ou produtos químicos.

Sim Parcialmente

  • A instalação possui um processo de colaboração em relação a alternativas químicas, substâncias de interesse e / ou listas de substâncias restritas. É transparente e documentada, mas não cobre todos os produtos químicos usados na fabricação, ferramentas e manutenção.

Documentação necessária:

  • Lista prioritária de alternativas para produtos químicos
  • MRSL/RSL, substâncias da lista de substâncias preocupantes/lista candidata, Lista REACH SVHC
  • Atas de reunião de colaboração entre as instalações, os clientes e os fornecedores de produtos químicos sobre alternativas

Perguntas a efetuar na entrevista:

  • A Gestão de nível superior pode explicar o processo para colaborar com os clientes e os fornecedores de produtos químicos relativo aos requisitos regionais/globais de produtos químicos
  • Garantir que a gestão e os funcionários-chave estão conscientes da necessidade de atualização da lista priorizada de alternativas aos produtos químicos

Inspeção – aspetos a confirmar fisicamente:

  • Analisar lista priorizada de alternativas para produtos químicos
  • Reveja a MRSL/RSL, lista de substâncias preocupantes, lista REACH SVHC
  • Rever atas de reunião de colaboração entre as instalações, os clientes e os fornecedores de produtos químicos sobre alternativas

Carregamento sugerido: a) Relatório de avaliação de Produtos Químicos Perigosos, como Screened Chemistry ou Cradle2Cradle; b) Evidência de que a instalação avaliou as alternativas em relação aos critérios de perigo.

Responda Sim no caso de ter sido realizada uma avaliação aos produtos químicos perigosos nas instalações, e no caso de estar a usar estas informações para priorizar ações e para encorajar a utilização de alternativas mais seguras aos produtos químicos. A avaliação deve incluir uma apreciação do perigo associado a uma substância perigosa e uma avaliação da exposição.

Responda Sim Parcial se tiver realizado uma avaliação mas não tiver priorizado medidas adicionais.

Indicador-Chave de Desempenho Operacionai: Qualidade / Integridade do Produto

Qual é a intenção desta pergunta?

O processo alternativo referido nesta pergunta é um processo realizado pela instalação para identificar os produtos químicos que eles estão usando com base em seus perigos e, em seguida, usar esse conhecimento para tomar uma decisão seletiva para reduzir, substituir ou, finalmente, eliminar gradualmente esse produto químico perigoso. São necessários conhecimentos técnicos para identificar perigos que não estejam incluídos em listas, como no Nível 2. Se isso for feito, será feito com a intenção de substituir produtos químicos existentes ou propostos. As instalações devem ser recompensadas por este comportamento no contexto da avaliação das alternativas. A escolha pela proibição ou substituição do uso de substâncias perigosas identificadas deve ser feita combinando o perigo associado a uma estimativa da exposição potencial a essas substâncias. Ignorar a exposição pode levar a estimativas muito imprecisas do risco de produto, e ter como consequência a orientação indevida dos esforços de gestão do produto.  Discutiremos a estimativa das exposições através da avaliação de cenários, em que os cenários dependem da utilização da substância.

Isto ajuda a determinar a categorização do risco de exposição (por exemplo, BLUESIGN® níveis 1, 2, 3) que se relaciona com a utilização final (por exemplo, produto infantil, junto à pele, camada exterior sem exposição cutânea, etc.). Isso ajuda o fornecedor a escolher qual formulação pode melhor suportar os requisitos funcionais do uso final mais o risco de exposição a produtos químicos.

Orientações Técnicas:

A avaliação de riscos químicos é usada para identificar e priorizar substâncias químicas para possível substituição por alternativas mais seguras, sendo cada vez mais exigida pelos revendedores, marcas e fornecedores de materiais em resposta à pressão do consumidor e aos requisitos regulamentares.

Produtos químicos perigosos são aqueles que mostram propriedades intrinsecamente perigosas – persistentes, bioacumuláveis e tóxicas (PBT); muito persistente e muito bioacumulativo (mPmB); cancerígeno, mutagénico e tóxico para reprodução (CMR); desreguladores endócrinos (DE); ou produtos químicos de interesse equivalente – não apenas aqueles que foram regulamentados ou restritos em outras jurisdições.

Referência: Enquadramento do Sistema de Gestão de Produtos Químicos da ZDHC – Versão 1 (maio de 2020) – Capítulo 3

Os benefícios de realizar uma avaliação de perigos são os seguintes:

  • A abordagem pode ser usada para avaliar e comparar alternativas com uma substância química estabelecida. O objetivo consiste em identificar produtos químicos que sejam inerentemente menos perigosos, evitando dessa forma substituições que possam aumentar o risco para a saúde das pessoas e para o ambiente.
  • Esta abordagem é adaptável a ferramentas de tecnologias de informação, permitindo-lhe monitorizar um grande número de produtos químicos num período de tempo relativamente curto, e fornecendo orientações para uma caracterização mais abrangente dos produtos químicos e dos materiais.
  • A abordagem é facilmente adaptável a vários setores de atividade, e proporciona uma abordagem científica à avaliação dos riscos químicos, de forma a que sejam identificadas alternativas menos perigosas.

Referência: Esta pergunta pode ser usada para informar respostas às Ferramentas do The Sustainability Consortium (TSC) para Têxteis e Vestuário. O Indicador de Desempenho Chave da Gestão de Produtos Químicos Prioritários pede aos respondentes informações prioritárias sobre produtos químicos. Os dados das instalações podem ser agregados por marcas para responder à pergunta do TSC.

Glossário:

Produtos químicos perigosos: Os produtos químicos perigosos são os que demonstram propriedades intrinsecamente perigosas — persistentes, bioacumulativos, e tóxicos (PBT); muito persistentes e muito bioacumulativos (mPmB); cancerígenos, mutagénicos, e tóxicos para a reprodução (CMT); desreguladores endócrinos (DE); ou produtos químicos igualmente preocupantes — e não apenas aqueles que foram regulamentados ou restritos em outras jurisdições.

Para dar início à avaliação de perigos químicos, transfira este guia: https://outdoorindustry.org/wp-content/uploads/2015/05/Haz_Assessment-2.pdf

De que modo isto será verificado:

Orientação: Expectativa é evidência de que você avaliou as alternativas em relação aos critérios de perigo.

Instalações que utilizam produtos químicos nos processos produtivos:

Sim

  • Foi realizada uma avaliação aos produtos químicos perigosos nas instalações, e as instalações usam essas informações para tomar medidas e criar um plano de ação com uma implementação clara de alternativas mais seguras. A avaliação deve incluir uma avaliação do perigo associado a uma substância perigosa juntamente com uma avaliação da exposição.

Sim Parcialmente

  • Foi realizada uma avaliação dos produtos químicos perigosos nas instalações, mas não foram tomadas medidas adicionais para priorizar ações futuras.

Instalações que usem produtos químicos apenas nas ferramentas e/ou operações das instalações:

Sim

  • Foi realizada uma avaliação aos produtos químicos perigosos nas instalações, e as instalações usam essas informações para priorizar ações e para encorajar a utilização de alternativas mais seguras aos produtos químicos. A avaliação deve incluir uma avaliação do perigo associado a uma substância perigosa juntamente com uma avaliação da exposição.

Sim Parcialmente

  • Foi realizada uma avaliação dos produtos químicos perigosos nas instalações, mas não foram tomadas medidas adicionais para priorizar ações futuras.

Documentação necessária:

  • Relatório de avaliação de Produtos Químicos Perigosos
  • Evidências de que a instalação avaliou as alternativas em relação aos critérios de risco.

Perguntas a efetuar na entrevista:

  • Os funcionários compreendem como devem usar estas informações para priorizar e encorajar a utilização de alternativas mais seguras aos produtos químicos?

Inspeção – aspetos a confirmar fisicamente:

  • Analisar o relatório de Produtos Químicos Perigosos.
  • Revisar as evidências de que a instalação avaliou alternativas em relação aos critérios de perigo

Carregamento sugerido (se aplicável): a) Avaliação por um BlueXpert BLUESIGN®; b) Estudos sobre Avaliação do Ciclo de Vida; c) Métricas documentadas para água, energia, resíduos, etc.; d) Avaliações de entidades terceiras; e) MFCA (Material Flow Cost Accounting) (Contabilidade de Custos de Fluxo de Materiais)

As suas instalações devem otimizar os produtos químicos usados, os processos produtivos, e o maquinário, para reduzir o consumo de energia e de água associado com cada etapa da produção. Um exemplo disto seria a escolha de um corante diferente, para redução do consumo de água durante um processo de tingimento.

Esta pergunta foca no consumo ou produção de outros recursos (tais como água, energia e resíduos), em oposição à avaliação química baseada nas propriedades perigosas referidas na Pergunta 18.

Responda Sim se tiver avaliado os impactos ambientais (por exemplo, os impactos sobre a utilização de água, utilização de energia, resíduos, efluentes e eliminação) da substituição de produtos químicos na sua fábrica.

Indicador-Chave de Desempenho Operacional: Inovações de Produtos Químicos e de Processo

Qual é a intenção desta pergunta?

Esta ação vai além da mera gestão de produtos químicos e representa uma abordagem mais abrangente à sustentabilidade, que considera o ciclo de vida do produto dentro das instalações e para além das mesmas, por exemplo, utilização de água, utilização energética, resíduos, efluentes, eliminação, etc.

O objetivo das análises de ciclo de vida do produto e do produto químico consiste em apoiar a pegada ambiental do produto e do produto químico. Existem modelos para a definição de métricas para o ciclo de vida, que podem ajudar ao desenvolvimento e à mensuração. A eficiência do processo de fabricação depende grandemente da otimização da utilização dos produtos químicos, juntamente com o processo de fabricação e o maquinário. A otimização destes três elementos consegue gerar poupanças significativas, ao reduzir a quantidade dos produtos químicos usados, reduzindo o consumo de energia e água associado ao processo e, por conseguinte, reduzindo significativamente os impactos de ciclo de vida do sistema.

Orientações Técnicas:

Onde encontrar mais informações:

De que modo isto será verificado:

Instalações que utilizem produtos químicos nos processos produtivos.

Sim

Documentação necessária:

  • Avaliação BLUESIGN® BlueXpert
  • Estudos PLCA/LCA.
  • Medições documentadas para água, energia, resíduos, etc.
  • MFCA (Material Flow Cost Accounting) (Contabilidade de Custos de Fluxo de Materiais)
  • Avaliações por terceiros

Perguntas a efetuar na entrevista:

  • Gestão de nível superior, Gestor Ambiental

Inspeção – aspetos a confirmar fisicamente:

  • Analisar as instalações quanto à implementação das estratégias.

Carregamento sugerido: a) Registos do lote do produto, que inclua o nome do lote, datas e quantidade produzidas; b) Receitas, fichas de formulação, instruções de processo (nos casos aplicáveis), com todas as informações monitorizáveis, ou seja, nome do produto químico, número do lote, e quantidade; c) Registo do processo de mistura/combinação de produtos químicos, registos laboratoriais (por exemplo, laboratório de coloração, laboratório de lavagem, etc.), incluindo informações relevantes, ou seja, nome do produto químico e quantidade usada em misturas; d) Registo de armazenamento de produtos químicos, incluindo armazéns temporários/de trabalho e armazém principal com registos consistentes, ou seja, registo de entradas e saídas de armazém com número de lote do produto químico, quantidade, e datas (de armazenamento e de envio para utilização).

Responda Sim apenas se TODOS os produtos químicos usados nos processos ou em misturas puderem ser monitorizados até ao armazém temporário/operacional e ao armazém principal, onde estão disponíveis registos consistentes, geridos segundo o número de lote.

Responda Sim Parcial se conseguir monitorizar alguns (mas não todos) os produtos químicos até ao número do lote

Indicador-Chave de Desempenho Operacional: Inovações de Produtos Químicos e de Processo

Qual é a intenção desta pergunta?

O objetivo da capacidade de monitorização é determinar se os componentes químicos envolvidos na produção podem ser monitorizados “para trás” (escolhendo um produto acabado, se é possível monitorizar os componentes químicos usados para produzir esse produto acabado específico) e “para a frente “(escolhendo um produto químico, se é possível identificar todos os produtos acabados específicos que são produzidos usando esse produto químico específico)

A capacidade de fazer isto apoiaria as investigações de causas raízes, caso aconteçam quaisquer questões relacionadas com a qualidade ou a conformidade devidas a um determinado produto químico

Se for necessário recolher um determinado produto, será possível recolher os produtos químicos específicos envolvidos

No Nível 3, as instalações devem dispor de capacidade de monitorização dos produtos químicos em cada processo de fabricação a partir de cada número de lote de produtos acabados, e até ao número de lote do produto químico. Por outras palavras, as instalações devem conservar as seguintes informações: (1) o número de lote do produto (2) os processos produtivos que o produto específico atravessou (3) as fichas de receita relativas a cada processo que envolva a utilização de produtos químicos (4)) os registos respetivos dos produtos químicos usados nestas receitas, durante a sua mistura ou no laboratório, isto é, nome e quantidade (5) um registo consistente do armazenamento (temporário e armazém/armazenamento a granel) destes produtos químicos, por exemplo, registo de armazenamento, registos de entradas e saídas (6) o número do lote do produto químico correspondente (7) informações consistentes no inventário de produtos químicos das instalações. Estas informações demonstrarão que sabe como e onde os produtos químicos são usados e armazenados nas operações das suas instalações, e que todas as informações são documentadas de forma consistente e monitorizadas nas instalações.

Orientações Técnicas:

Este nível de capacidade de monitorização só é possível quando solicitamos aos fornecedores de produtos químicos que forneçam o número de lote dos produtos químicos a cada entrega, e às instalações que monitorizem os produtos químicos de acordo com a OC, após o recebimento destes produtos químicos. As instalações devem registar estas informações no seu inventário ou registo de produtos químicos, por nome de produto químico e número de lote, incluindo a data de recebimento e posteriormente à abertura para utilização na receita, e a data de utilização para assegurar a capacidade de monitorização completa do produto químico utilizado.

De que modo isto será verificado:

Instalações que utilizem produtos químicos nos processos produtivos:

Sim

Todos os requisitos seguintes são cumpridos:

  • Estão disponíveis, para todos os produtos, fichas de produção com o número de lote e outras informações relevantes, por exemplo, datas e quantidades produzidas
  • Todos os processos por que um produto passou e que envolvam a utilização de produtos químicos estão identificados, e a receita e fichas de produção correspondentes a cada processo estão disponíveis e são mantidos. As instruções do processo e os pontos de verificação são estabelecidos e documentados.
  • Todos os produtos químicos listados nas receitas podem ser monitorizados até a mistura / mistura química ou laboratório (quando aplicável), incluindo informações relevantes, por exemplo nome químico e quantidade utilizada nas misturas
  • Todos os produtos químicos usados em processos ou misturas podem ser monitorizados até o armazenamento temporário/de trabalho e o armazém principal, onde registos consistentes estão disponíveis e são mantidos, por exemplo registo de entrada/saída de armazenamento com número de lote químico, quantidade e datas (armazenados e despachados para uso).
  • A relação entre o número de lote dos produtos químicos usados e o número de lote dos produtos acabados é definida para cada produto fabricado nas instalações.

Sim Parcial:

  • Estão disponíveis, para todos os produtos, fichas de produção com o número de lote e outras informações relevantes, por exemplo, datas e quantidades produzidas
  • Todos os processos por que um produto passou e que envolvam a utilização de produtos químicos estão identificados, e a receita e fichas de produção correspondentes a cada processo estão disponíveis e são mantidos. As instruções do processo e os pontos de verificação são estabelecidos e documentados.
  • Alguns dos produtos químicos (nem todos) listados nas receitas podem ser monitorizados até a mistura / mistura química ou laboratório (quando aplicável), incluindo informações relevantes, por exemplo nome químico e quantidade utilizada nas misturas
  • Alguns produtos químicos (não todos) usados em processos ou em misturas podem ser monitorizados até ao armazenamento temporário/de trabalho e ao armazém principal, onde são mantidos e estão disponíveis registos consistentes, por exemplo, registo de entradas e saídas do armazém com o número de lote do produto químico, quantidade, e datas (de armazenamento e de envio para utilização).
  • A relação entre o número de lote dos produtos químicos usados e o número de lote dos produtos acabados é definida para alguns produtos (não todos) fabricado nas instalações.

Documentação necessária:

  • Ficha de produção do produto, incluindo número do lote, datas e quantidade produzida
  • Receitas, fichas de formulação química, instruções de processo (nos casos aplicáveis) que contenham todas as informações monitorizáveis, ou seja, nome do produto químico, número de lote e quantidade disponível
  • Registo do processo de mistura/combinação de produtos químicos, registos laboratoriais (por exemplo, laboratório de coloração, laboratório de lavagem, etc.), incluindo informações relevantes, ou seja, nome do produto químico e quantidade usada em misturas
  • Registo do armazém de produtos químicos, incluindo armazém temporário/de trabalho e armazém principal com registos consistentes, ou seja, registo de entradas e saídas de armazém com o número de lote do produto químico, quantidade e datas (de armazenamento e de envio para utilização)

Perguntas a efetuar na entrevista:

  • Os gestores/trabalhadores conseguem apresentar um sistema documentado, que pode ser monitorizado e acompanhado, desde cada lote de produto acabado até cada lote de produto químico
  • Os trabalhadores compreendem o conteúdo e conhecem a importância dos registos dos lotes de produtos, das instruções de processo, da receita, dos registos de utilização, dos registos de armazenamento, especialmente no caso de processos que envolvam a utilização de produtos químicos, por exemplo, tinturaria, lavagem, estampagem ou acabamento, conforme o caso

Inspeção – aspetos a confirmar fisicamente:

  • Análise de registos (consultar os requisitos acima)
  • Execute uma verificação aleatória de 1-2 produtos atualmente na linha de fabricação no local e rastreie os processos pelos quais o produto passou, as receitas correspondentes e os cartões de lote em cada processo
  • Verifique aleatoriamente 3-4 produtos químicos nos cartões de receita / lote identificados em cada processo para monitorizar a documentação desde o produto final até a área de mistura e o armazém. Verificar se a relação entre o número de lote do produto e o número de lote do produto químico pode ser estabelecida, e se a documentação está disponível e é conservada.

(Nota: não é necessário fazer o carregamento de todos, mas precisam de estar disponíveis para revisão durante a verificação) O carregamento sugerido pode incluir alguns dos seguintes documentos para demonstrar a prática: a) Procedimentos Normais de Funcionamento para compra de produtos químicos de fornecedores qualificados (ignorar se já tiver sido carregado anteriormente); b) Departamento de qualidade com registos associados, como relatórios de teste do cliente, relatórios de teste laboratorial analítico por produto químico e por lote; c) Relatório de teste analítico do fornecedor de produtos químicos; d) Relatórios de qualidade para a gestão de nível superior; e) Registos internos das análises realizadas durante a última época; f) Registos de relatórios de teste de laboratórios externos à MRSL da ZDHC e aceites, das análises realizadas durante a última época e verificação se estão de acordo com os requisitos da MRSL; g) Resultados da análise monitorizáveis até aos seus pedidos internos correspondentes e lote de produto acabado

Responda Sim apenas se possuir um processo implementado para selecionar e confirmar aleatoriamente a conformidade de um produto químico com uma norma conhecida, como uma MRSL ou RSL, através de uma análise organolética ou química, com periodicidade, no mínimo, anual. Este programa de GQ deve incluir: 1) a avaliação da eficácia da qualidade e desempenho de cada formulação química usada, 2) garantir que as receitas do processo de como cada formulação química deve ser usada sejam rigorosamente seguidas, 3) os controlos do processo sejam rigorosamente seguidos e 4) avaliação contínua da qualidade da produção com registos de suporte.

Responda Sim Parcial se a sua instalação utiliza relatórios de testes de clientes monitorizáveis até às ordens de serviço e receitas, para verificar a conformidade do fornecedor de produtos químicos.

Indicador-Chave de Desempenho Operacional: Qualidade / Integridade do Produto

Qual é a intenção desta pergunta?

O foco deve estar se o desempenho do produto químico que esta sendo adquirido,  está de acordo com sua folha de dados técnicos. É uma prática muito importante para uma instalação que compra produtos químicos configurar um processo para realmente verificar a conformidade química por conta própria (por exemplo, triagem de testes de laboratório).

A expectativa é que a instalação tenha um programa de gestão da qualidade que garanta que os produtos químicos sejam avaliados e atenda aos padrões para alcançar os requisitos das MRSL e RSL.

Por que essa pergunta é importante? A cadeia de suprimentos químicos é um processo de valor agregado em várias camadas, incluindo comerciantes, distribuidores, etc. É essencial compreender a qualidade de um produto químico solicitado versus o produto recebido, para garantir que a criação e a distribuição a montante de produtos químicos ofereçam produtos químicos que atendam à RSL e / ou aos seus próprios requisitos responsáveis de entrada química (ou de seus clientes). Os dados factuais coletados devem ser usados em um processo para adicionar / remover fornecedores de produtos químicos para compras futuras.

Orientações Técnicas:

Referência: Enquadramento do Sistema de Gestão de Produtos Químicos da ZDHC – Versão 1 (maio de 2020) – Capítulo 3

De que modo isto será verificado:

Instalações que utilizem produtos químicos nos processos produtivos.

Sim

  • A instalação possui um processo para selecionar e verificar aleatoriamente a conformidade de um produto químico com um padrão conhecido como uma MRSL ou RSL por meio de uma análise organolética e química pelo menos anualmente.
  • O programa de GQ deve incluir: 1) a avaliação da qualidade e da eficácia do desempenho de cada formulação química usada, 2) garantir o cumprimento rigoroso dos procedimentos processuais para utilização de cada formulação química, 3) o cumprimento rigoroso dos controlos de processo e 4) a avaliação contínua e devidamente registada da qualidade na produção.

Sim Parcialmente

  • A instalação utiliza relatórios de teste do cliente monitorizáveis a ordens de serviço e receitas para verificar a conformidade do fornecedor de produtos químicos.
  • Relatório de ensaio analítico do fornecedor de produtos químicos

Documentação necessária:

  • Departamento de qualidade com registos associados, como relatórios de testes de clientes, relatórios de testes de laboratório analíticos por produto químico e por lote.
  • Relatório de ensaio analítico do fornecedor de produtos químicos
  • Procedimento Operacional Padrão (SOP) para aquisição de produtos químicos junto a fornecedores qualificados
  • Relatórios da Qualidade para a Gestão de nível superior
  • Registos internos das análises realizadas durante o último período
  • Registos de relatórios de análises de laboratórios externos realizadas durante a temporada anterior e confirmação de que cumprem os requisitos da MRSL
  • Resultados de análises monitorizáveis aos seus correspondentes pedidos internos e ao lote do produto acabado
  • As instalações enviam os resultados internos a um laboratório externo para verificação da exatidão?
  • Todos os registos mantidos por um ano

Perguntas a efetuar na entrevista:

  • Se o Diretor de GQ e o Diretor do Laboratório sabem quais são os parâmetros, e se sabem quais os parâmetros que devem ser analisados internamente e quais são terceirizados.
  • As instalações conhecem laboratórios que possam efetuar estas análises.
  • Os laboratórios devem ter certificações ou acreditações para os testes a serem realizados.
  • Os laboratórios devem informar os seus clientes, no caso de alguma das análises ser terceirizada para outro laboratório.
  • Os laboratórios devem participar regularmente em estudos de correlação (“round robin” ou testes cegos) relativos às análises realizadas para os seus clientes
  • Os laboratórios devem ser capazes de propor tempos de análise razoáveis

Inspeção – aspetos a confirmar fisicamente:

  • Os parâmetros mínimos que devem ser considerados para o controlo de produção são os seguintes:
  • Análises a serem realizadas internamente:
    • pH (exceto para as fábricas de curtumes, onde se exclui este teste).
    • Solidez da cor:
      • Relativo a transpiração
      • Relativo a água
      • Relativo a fricção (seco e húmido).
      • Relativo a saliva (apenas para vestuário de bebé).
  • Análises a serem terceirizadas:
    • Arilaminas
    • Formaldeído
    • Composição
    • APEO e PFC
  • Tire fotografias como prova da existência, nas instalações, de um medidor de pH com controlo de temperatura, de um agitador adequado para análises do pH, de um instrumento adequado para realizar análises de resistência à abrasão, de espécies monofibra para análises à solidez da cor (se for o caso), Balança, Estufa (se for o caso), uma escala de cinzentos para apresentar o resultado da análise à solidez da cor (se for o caso), Caixa de luz – não aplicável para unidades de estampagem e lavandarias onde não ocorram processos de tinturaria. Realização de análises ao pH de acordo com a legislação: peça uma demonstração
  • Verifique se o laboratório interno possui todos os equipamentos necessários para um desempenho químico de boa qualidade
  • Reveja o processo para amostragem/análise no caso de recebimento de um produto químico
  • Reveja o processo para o relatório do ensaio analítico do fornecedor de produtos químicos
  • Reveja o processo para acrescentar/retirar um fornecedor de produtos químicos de acordo com a sua qualidade

Carregamento Sugerido: a) Descrição dos procedimentos; b) Comunicações com os fornecedores e os subcontratados que demonstrem a confirmação da prática de aquisição de produtos químicos a partir de listas positivas; c) Relatório de verificação Higg dos fornecedores / subcontratados demonstrando que cumprem os critérios.

Responda Sim se as suas instalações possuírem um sistema que exija que todos os terceiros e subcontratados tenham uma lista de produtos químicos preferidos, e que verifique a sua utilização.

Responda Sim Parcial se possuir um plano de ação para envolver os seus fornecedores, solicitando-lhes a seleção de produtos químicos a partir de uma lista positiva.

Indicador-Chave de Desempenho Operacional: Práticas para Seleção e Aquisição de Produtos Químicos

Qual é a intenção desta pergunta?

As instalações devem procurar proativamente produtos químicos com menos perigos e riscos, para substituição de produtos químicos que representem maior perigo para as pessoas e para o nosso ambiente (além das MRSL e RSL). A intenção desta pergunta consiste em recompensar as instalações que tenham ido além da norma, solicitando aos seus fornecedores a montante que utilizem listas de produtos químicos preferidos.

A substituição de produtos químicos perigosos é uma medida fundamental para a redução dos riscos para o ambiente, os trabalhadores, os consumidores e a saúde pública. Existem vários programas de marcas e outras entidades para identificação de substitutos positivos. Impulsionar a procura por estes substitutos, e a inovação na química verde como um todo, melhorará a sustentabilidade da indústria têxtil e do calçado.

Orientações Técnicas:

É importante salientar que as listas positivas são desenvolvidas através da análise da composição de formulações específicas, para identificar substâncias perigosas. As listas positivas devem considerar a avaliação da composição dos produtos químicos usados na formulação, bem como uma avaliação dos processos para a qualidade existentes nas instalações que produzem estes produtos químicos. O segundo aspeto é fundamental para garantir que a composição da formulação química permanece consistente ao longo do tempo, e que o risco de encontrar impurezas indesejadas é limitado. As informações relativas à composição da mistura de produtos químicos disponíveis nas Fichas de Dados de Segurança não devem ser usadas (apenas) para o desenvolvimento de listas positivas, já que o nível de detalhe disponível nas FDS não identifica normalmente as impurezas ou substâncias adicionadas involuntariamente e que podem ser frequentemente a origem da não conformidade com uma RSL ou uma MRSL.

  • Enquadramento do Sistema de Gestão de Produtos Químicos da ZDHC – Versão 1 (maio de 2020) – Capítulo 2
  • BLUESIGN® Bluefinder
  • Cliente fornecedor MRSL / lista positiva para produtos químicos.
  • MRSL da ZDHC de Nível 3, BLUESIGN®, GOTS, OEKO-TEX®, outros.

Onde encontrar mais informações:

De que modo isto será verificado:

Instalações que utilizem produtos químicos nos processos produtivos.

Sim

  • Um sistema implementado que exija que todos os terceiros e subcontratados tenham uma lista de produtos químicos preferidos, e que verifique a sua utilização.

Sim Parcial

  • Plano de ação para envolvimento dos fornecedores solicitando a seleção de produtos químicos a partir de uma lista positiva.

Documentação necessária:

  • Descrição dos procedimentos.
  • Comunicações com os fornecedores e subcontratados que confirmem a prática de aquisição de produtos químicos através de listas positivas
  • Se disponível, relatório de verificação Higg dos fornecedores / subcontratados demonstrando que cumprem os critérios CM-2.3

Perguntas a efetuar na entrevista:

  • Os funcionários-chave compreendem estes procedimentos?

Inspeção – aspetos a confirmar fisicamente:

  • Uma observação de como estes procedimentos são postos em prática

A instalação comunica suas metas, processos e ações às Marcas e Fornecedores?

Carregamento Sugerido: a) Descrição ou exemplos dos atuais projetos/investimentos de I&D em química; b) Exemplos do modo como incorporou a química responsável nos seus próprios acordos comerciais.

Responda Sim apenas se conseguir demonstrar que as decisões da empresa levam em consideração a gestão responsável de produtos químicos e a inovação, ao incorporarem produtos químicos responsáveis nos seus próprios acordos comerciais e nas suas metas de negócio documentadas.

Responda Sim Parcial se conseguir demonstrar que as decisões da empresa levam em consideração a gestão responsável de produtos químicos e a inovação.

Indicador-Chave de Desempenho Operacional: Inovações de Produtos Químicos e de Processo

Qual é a intenção desta pergunta?

Nesta pergunta, esperamos que a sua instalação consiga demonstrar que as decisões empresariais tomam em consideração a gestão responsável e inovação de produtos químicos. Isto significa que não estará apenas redigindo políticas, mas que estará  incorporando de forma ativa produtos químicos responsáveis nos seus próprios acordos comerciais. O comportamento realmente mudará assim que existirem incentivos comerciais incorporados. As instalações que possuam metas de negócio documentadas para apoio à gestão de produtos químicos devem também comunicar as suas intenções aos seus parceiros da cadeia de fornecimento.

A verdadeira evolução da sustentabilidade só acontecerá quando a sustentabilidade for incorporada nas decisões comerciais.

Orientações Técnicas:

Inovação de processos como tinturaria livre de sais, processamento livre de solventes, tinturaria sem água, utilização da tecnologia de plasma para acabamentos e processos eletroquímicos de tinturaria, recuperação/reutilização de vários produtos químicos como o Permanganato de Potássio, Alcalinos, etc. modificações de máquinas para melhorar a conservação de água e energia ou para desenvolver novas rotas para os processos a fim de implementar mudanças radicais e melhorias no impacto ambiental global.

Glossário:

  • O SMART é uma estrutura de boas práticas para o estabelecimento de objetivos. Um objetivo SMART deve ser específico, mensurável, alcançável, realista e limitado no tempo

Modelos para Criar: Modelo SMART

Onde encontrar mais informações:

De que modo isto será verificado:

Instalações que utilizem produtos químicos nos processos produtivos.

Sim

  • As instalações conseguem demonstrar que as decisões da empresa levam em consideração a gestão responsável de produtos químicos e a inovação.
  • As instalações estão incorporando ativamente produtos químicos responsáveis em seus próprios acordos comerciais.
  • As instalações têm um plano para descobrir novos produtos químicos sustentáveis.
  • As instalações que possuam metas de negócio documentadas para apoio à gestão de produtos químicos devem também comunicar as suas intenções aos seus parceiros de cadeia de fornecimento.

Sim Parcialmente

  • As instalações conseguem demonstrar que as decisões da empresa levam em consideração a gestão responsável de produtos químicos e a inovação.

Documentação necessária:

  • Descrição ou exemplos de projetos/investimentos atuais de P&D em química
  • Exemplos de como a instalação incorporou a química responsável nos  seus próprios acordos comerciais.

Perguntas a efetuar na entrevista:

  • Gestão de nível superior, Gestão Responsável sobre decisões empresariais tomadas que levam em consideração a gestão e inovação de produtos químicos.

Inspeção – aspetos a confirmar fisicamente:

  • Análise de planos documentados e ações relativas a decisões empresariais tomadas que levam em consideração a gestão responsável e inovação de produtos químicos.

 

top
X